Telhado verde em edificações convencionais: estudo comparativo em um município do Sudoeste de Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/2177-4560.v17n12023p2-22

Palavras-chave:

sustentabilidade, construções sustentáveis, meio ambiente, cobertura sustentável

Resumo

Com o desenvolvimento das cidades, é possível ver a falta de área verde nos centros urbanos, por isso novas técnicas sustentáveis estão sendo aplicadas, como os telhados verdes. As coberturas sustentáveis possuem a mesma função das convencionais, porém mais do que isso, auxiliam no combate às ilhas de calor, na retenção de águas, diminuem a poluição sonora, entre outras vantagens. Neste trabalho, foram desenvolvidas planilhas que apresentam uma estimativa de custo real de implantação de cada tipo de telhado, sendo possível verificar qual deles é mais viável, listando suas vantagens e desvantagens. Devido a vários fatores, o valor de instalação do telhado verde é mais caro, porém deve-se levar em consideração as diversas vantagens que ele possui, tais como: auxílio ao combate às ilhas de calor, retenção de águas e diminuição da poluição sonora. Um dos motivos que torna o custo dessa técnica mais alto é a demanda, visto que, por ainda ser baixa, há poucas empresas especializadas no ramo, o que diminui a concorrência. Algumas cidades do Brasil já incluíram o uso dos telhados verdes nas leis municipais, porém seu uso ainda é pouco difundido. Portanto, políticas públicas e incentivos quanto à sua utilização devem ser desenvolvidos, buscando compatibilizar meio ambiente e crescimento urbano.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Lorena Dalva Lima, Instituto Federal de Minas Gerais
    Graduação em Engenharia Civil pelo Instituto Federal de Minas Gerais Campus Piumhi, Brasil.
  • Pedro Luiz Camargo, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Minas Gerais
    Doutorado em Evolução Crustal e Recursos Naturais pela Universidade Federal de Ouro Preto. Professor do Instituto Federal de Minas Gerais - Campus Avançado Piumhi , Brasil.
  • Felipe Silva Alves, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Minas Gerais
    Doutor em Engenharia Civil pela UFRJ. Professor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Avançado Piumhi - Brasil

Referências

AFONSINAS, Calhas. Calhas e Rufos. 2020. Disponível em: http://calhasafonsina.com.br/dicas/#:~:text=Corte%20%C3%A9%20a%20soma%20das,%2C%20portanto%2C%20%C3%A9%20corte%2033. Acesso em: 02 out. 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10844: Instalações prediais de águas pluviais. Rio de Janeiro: ABNT, 1989. 13 p. Disponível em: https://ecivilufes.files.wordpress.com/2013/06/nbr-10844-1989-instalac3a7c3b5es-prediais-de-c3a1guas-pluviais.pdf. Acesso em: 07 out. 2021.

BACHA, Maria de Lourdes; SANTOS, Jorgina; SCHAUN, Angela. Considerações teóricas sobre o conceito de Sustentabilidade. In: VII SEGET, 7, 2010, Resende. Artigo. Resende: Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2010. p. 1-14.

BESEN, Gina Rizpah; GÜNTHER, Wanda Maria Risso; RODRIGUES, Angela Cassia; BRASIL, Ana Lúcia. Resíduos sólidos: vulnerabilidades e perspectivas: a insustentabilidade da geração excessiva de resíduos sólidos. São Paulo: Ex-Libris, 2010.

BRANCO, Renata. Vantagens de encanamento de PVC. 2020. Disponível em: http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=27&Cod=1512. Acesso em: 15 out. 2021.

BRASIL (Estado). Lei Complementar nº 5481, de 20 de dezembro de 2019. Dispõe sobre o Plano Diretor de Teresina, denominado “Plano Diretor de Ordenamento Territorial - PDOT”, e dá outras providências. Lei Complementar Nº 5.481, Teresina, PI, 20 dez. 2019. p. 1-115.

BRASIL (Município). Lei Complementar nº 67, de 25 de setembro de 2019. Estabelece normas e condições para Parcelamento, Ocupação e Uso do Solo Urbano no Município de Piumhi. Lei Complementar Nº 67, de 25 de Setembro de 2019. Piumhi, 25 set. 2019.

BRASIL. Caixa Econômica Federal. Cadernos técnicos de composição para: estrutura e trama para cobertura. Brasília: SINAPI, 2019. 276 p.

BRASIL. Caixa Econômica Federal. Cadernos técnicos de composição para: telhamento para cobertura. Brasília: SINAPI, 2019. 135 p.

BRASIL. Caixa Econômica Federal. Cadernos técnicos de composição para: impermeabilização. Brasília: SINAPI, 2019. 84 p.

CALIL JUNIOR, Carlito; MOLINA, Julio Cesar. Coberturas em estruturas de madeira: exemplos de cálculo. São Paulo: Pini Ltda, 2010.

CARDOSO, Luiza Moura. Tudo sobre os Resíduos Sólidos da Construção Civil. 2017. Disponível em: https://www.sienge.com.br/blog/residuos-solidos-da-construcao-civil/. Acesso em: 12 mar. 2021.

CARMO, João. Cobertura e telhado. Natal: Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, 2019. 44 slides. Disponível em: https://docente.ifrn.edu.br/joaocarmo/disciplinas/aulas/projeto-arquitetonico/cobertura-e-telhado/view . Acesso em: 15 mar. 2021.

CARVALHO, Israel; MACHADO, Lúcio Gomes. Por que sistemas de drenagem de águas pluviais exigem projeto cuidadoso? 2020. Disponível em: https://www.aecweb.com.br/revista/materias/por-que-sistemas-de-drenagem-de-aguas-pluviais-exigem-projeto-cuidadoso/17923. Acesso em: 17 out. 2021.

CONSTRUCT. Calhas e rufos: entenda as diferenças entre os dois materiais. 2018. Disponível em: https://constructapp.io/pt/tudo-sobre-calhas-e-rufos/. Acesso em: 04 out. 2021.

CORSINI, Rodnei. Telhado verde. 2021. Disponível em: https://www.cemara.com.br/blog/index.php/telhado-verde/. Acesso em: 16 mar. 2021.

COSTA, Deise Maria Bertholdi; SOUZA, Luzia Vidal de; SIQUEIRA, Paulo Henrique. Introdução ao estudo dos telhados. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2019. 18 p.

COSTA, Suzana Bezerra. Levantamento de custo e benefícios para a implantação de um sistema de telhado verde na cobertura impermeabilizada de uma edificação vertical. 2018. 57 f. Monografia (Especialização) - Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.

ETERNIT. Telhas de fibrocimento. São Paulo: Eternit, 2020. 118 p. Disponível em: https://www.eternit.com.br/wp-content/uploads/2019/10/ETE02720_Cat%C3%A1logo-t%C3%A9cnico-fibrocimento_D.pdf. Acesso em: 28 set. 2021.

FAVARO, Paula Priscila Fleria. Indicação das patologias relacionadas as calhas com comparativo de dimensionamento utilizando a NBR 10844/1989 e a equação de chuva da cidade de Cuiabá-MT. 2017. 67 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2017.

FRANCO, José Tomás. Telhados verdes: quais são as camadas e como impermeabilizá-los usando membranas líquidas. 2021. Disponível em: https://expresso.arq.br/telhados-verdes-quais-sao-as-camadas-e-como-impermeabiliza-los-usando-membranas-liquidas/. Acesso em: 09 out. 2021.

GASPAR, Marília. Tipos de telhado: especificações, vantagens e aplicações, especificações, vantagens e aplicações. 2021. Disponível em: https://www.sienge.com.br/blog/tipos-de-telhado/. Acesso em: 15 mar. 2021.

GEHARD, Gabriel Lazzeri; BERGMANN, Ana Claudia. O estudo de viabilidade de implantação de telhado verde, abordando diferentes estilos construtivos do telhado verde. 2018. 25 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Universidade Paranaense, Campus de Toledo/Pr, Toledo, 2018.

GONZAGA, Armando Luiz. Madeira: uso e conservação. 6. ed. Brasília: Caroline Soudant, 2006. 246 p. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/CadTec6_MadeiraUsoEConservacao.pdf. Acesso em: 14 out. 2021.

GUSS, Josiane. Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde. 2013. Disponível em: http://www.josianeguss.com/2013/11/cuidados-no-dimensionamento-e-na.html. Acesso em: 10 out. 2021.

JESUS, Laina Maria Santana De. Telhado verde “Revisão Bibliográfica”. Cruz das Almas: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, 2018.

LOGSDON, Norman Barros. Estruturas de madeira para coberturas, sob a ótica da NBR 7190/1997. Faculdade de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá, MT. 2002. Disponível em: http://usuarios.upf.br/~zacarias/Telhados.pdf Acesso em: 04 jun. 2021.

MACHADO, Lúcio Gomes; CARVALHO, Israel. Por que sistemas de drenagem de águas pluviais exigem projeto cuidadoso? Disponível em: https://www.aecweb.com.br/revista/materias/por-que-sistemas-de-drenagem-de-aguas-pluviais-exigem-projeto-cuidadoso/17923. Acesso em: 14 out. 2021.

MORAES, Marciano Freitas de. Telhados verdes: uma análise comparativa de custos e vantagens em relação aos telhados convencionais. 2013. 59 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

NAKAMURA, Juliana. Como impermeabilizar coberturas verdes? 2020. Disponível em: https://www.aecweb.com.br/revista/materias/como-impermeabilizar-coberturas-verdes-veja-dicas-e-normas-a-seguir/17405. Acesso em: 17 out. 2021.

ORÇAMENTISTA. Como calcular o BDI conforme recomendações do TCU. 2018. Disponível em: https://oorcamentista.com.br/como-calcular-o-bdi-conforme-recomendacoes-do-tcu/. Acesso em: 27 set. 2021.

PALA, Marcelo; MENDES, Luana Ferreira. Proposta de um sistema de captação e aproveitamento de água pluvial para uma instituição de apoio aos portadores de necessidades especiais do município de Machado – MG. Disponível em: http://repositorio.unis.edu.br/bitstream/prefix/1329/1/Marcelo%20Pala.pdf. Acesso em: 05 set. 2021.g

PEREIRA, Caio. O que é Beiral? 2018. Disponível em: https://www.escolaengenharia.com.br/beiral/. Acesso em: 12 out. 2021.

POLDERMAN, Todd. Por que irrigar? Independentemente do local e do clima de seu telhado verde, a irrigação é a chave para o sucesso. 2015. Disponível em: https://www.hunterindustries.com/pt/press/articles/2015/05/27/por-que-irrigar-independentemente-do-local-e-do-clima-de-seu-telhado-verde. Acesso em: 20 out. 2021.

RAMOS, Ademilson. Conheça as partes que formam um telhado. 2016. Disponível em: https://engenhariae.com.br/editorial/colunas/conheca-as-partes-que-formam-um-telhado. Acesso em: 18 set. 2021.

SAMPAIO, Pedro. O que é BDI em obras: o guia definitivo para calcular. O guia definitivo para calcular. 2020. Disponível em: https://orcamentoparaobras.com.br/blog/o-que-e-bdi-em-obras-e-como-calcular/. Acesso em: 15 out. 2021.

SANTOS, Rodolfo dos; CARVALHO, Eduardo Henrique Coelho Pinto; SANTOS, Rafael Veiga dos; HOLANDA, Willian Santos; SILVA, Me. Ruiz da. Telhado verde: sua definição e principais indicativos de vantagens na sustentabilidade de uma construção. Guarujá: Unaerp Campus Guarujá, 2016. 8 p.

SAVI, Adriane Cordoni. Telhados verdes: análise comparativa de custo com sistemas tradicionais de cobertura. 2012. 128 f. Monografia (Especialização) - Curso de Construções Sustentáveis, Acadêmico de Construção Civil, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

SILVA, Carlos Alexandre Moreira da; ALVES, Ricardo Costa. Comparativo de custo entre telhados coloniais e de fibrocimento: habitação de interesse social no município de Cruzília-MG. Varginha: Unis, 2018. Disponível em: http://repositorio.unis.edu.br/bitstream/prefix/621/1/Carlos%20Alexandre.pdf. Acesso em: 04 jul. 2021.

THOMÉ, Brenda Bressan. BDI na Construção Civil: que é e como usar? 2016. Disponível em: https://www.sienge.com.br/blog/bdi-na-construcao-civil-o-que-e-como-usar/. Acesso em: 17 out. 2021.

Downloads

Publicado

30-12-2023

Como Citar

Telhado verde em edificações convencionais: estudo comparativo em um município do Sudoeste de Minas Gerais. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 2–22, 2023. DOI: 10.19180/2177-4560.v17n12023p2-22. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/boletim/article/view/16320.. Acesso em: 25 jul. 2024.