Análise das condições sinóticas de eventos de ondas de tempestade no litoral norte fluminense

Autores

  • Isadora Borges da Silva Amorim Universidade Federal Fluminense
  • Eduardo Bulhões Universidade Federal Fluminense

Palavras-chave:

Circulação Atmosférica. Impactos de ondas de tempestade. Dinâmica costeira.

Resumo

O presente estudo justifica-se pela necessidade de incorporar análises das condições de circulação atmosférica, na escala sinótica, aos estudos de impactos de ondas de tempestade na linha de costa, utilizando para tal o suporte do conhecimento já gerado para a Bacia de Campos. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho é identificar e caracterizar as condições sinóticas atmosféricas quando da ocorrência de ondas oceânicas de tempestade no Atlântico Sudoeste, especialmente aquelas que atingem o litoral fluminense, buscando identificar padrões atmosféricos de geração, propagação e dispersão de eventos de ondas de tempestade, entre os anos de 2004 e 2014. A estratégia metodológica foi inicialmente definir os eventos de tempestade no período, os quais geraram impactos significativos no litoral fluminense, descrevendo as condições sobre as quais ocorreram. Para essa tarefa são utilizados dados compilados do modelo Wave Watch III. Em seguida, foram descritas as etapas de identificação de impactos na linha de costa, a partir dos resultados de simulações de propagação de ondas para o litoral.  Posteriormente, foram selecionadas as informações de cartas sinóticas publicadas diariamente pela Marinha do Brasil durante os eventos de aproximação, atuação e dispersão das tempestades oceânicas que atingiram o litoral fluminense. Por fim, foram descritas e mapeadas as condições sinóticas geradoras de ondas de tempestade para o litoral supracitado. Como resultados, identificou-se que os padrões de trajetórias distintas dos centros de baixa pressão variam entre os sentidos sudoeste para nordeste, su-sudoeste para leste-nordeste e noroeste para sudeste; sendo este último referente a um posicionamento dos ciclones mais próximo ao litoral fluminense. Foi inferido também que a posição e a intensidade do vórtice de alta pressão do Atlântico Sul (ASAS) interferem nas trajetórias dos centros de baixa pressão. No momento de dissipação, as trajetórias são de oeste para leste. O evento de novembro de 2008 é diagnóstico de ondas intensas relacionadas à posição do centro de alta pressão do Atlântico Sul (ASAS).

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Isadora Borges da Silva Amorim, Universidade Federal Fluminense
    Bacharel em Geografi a (UFF). Laboratório de Geografi a Física. Universidade Federal Fluminense (UFF) - Campos dos Goytacazes (RJ) - Brasil. E-mail:isadoraborges8@gmail.com  
  • Eduardo Bulhões, Universidade Federal Fluminense
    Doutor em Geologia e Geofísica Marinha (UFF). Professor do Programa de Pós-Graduação em Geografi a (PPG) - Universidade Federal Fluminense (UFF) - Campos dos Goytacazes (RJ) - Brasil. E-mail: eduardobulhoes@id.uff .br.      

Downloads

Publicado

30-12-2016

Edição

Seção

Artigos originais

Como Citar

Análise das condições sinóticas de eventos de ondas de tempestade no litoral norte fluminense. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 253–279, 2016. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/boletim/article/view/7576.. Acesso em: 13 jun. 2024.