Rede de agroturismo Altos da Serramar: uma alternativa de desenvolvimento local sustentável na bacia do rio Macaé, RJ, Brasil?

Autores

  • Cristiane Passos de Mattos Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ), Campus Nova Friburgo/RJ
  • Lia Carneiro Caldas Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Rio de Janeiro/RJ
  • Alice Sá Rego de Azevedo Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Macaé/RJ
  • Isabela Melone Escamilha Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) Campus Nova Friburgo/RJ
  • Giuliana Mota de Mesquita Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) Campus Nova Friburgo/RJ
  • Elaine Lopes Peixoto Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) Campus Nova Friburgo/RJ

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v22n32020p517-533

Palavras-chave:

Turismo, Sustentabilidade, Macaé, Altos da Serramar

Resumo

A noção de sustentabilidade associada ao planejamento turístico têm sido cada vez comum, principalmente em discussões sobre modelos de desenvolvimento socioeconômico que contribuam para a conservação da biodiversidade. O alto curso da bacia do rio Macaé (RJ, Brasil), área focal de políticas de proteção da natureza, tem vivenciado, desde a década de 1970, um expressivo crescimento da atividade turística. Nessa região, foi organizada, via protagonismo local, a rede de agroturismo Altos da Serramar, formada por dezenas de proprietários rurais. Inspirado nessa problemática, o artigo teve como o objetivo investigar em que medida a constituição e operacionalização dessa rede pode ser entendida como uma alternativa sustentável para o desenvolvimento socioeconômico da bacia do rio Macaé. A metodologia envolveu revisão da literatura, observação participante e visitas às propriedades durante o ano de 2019. Os resultados indicam expressivo potencial da rede para estimular o desenvolvimento sustentável na região de estudo.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Cristiane Passos de Mattos, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ), Campus Nova Friburgo/RJ
    Professora do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ), Campus Nova Friburgo. Doutora em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Rio de Janeiro/RJ – Brasil. E-mail: crispassinhos@gmail.com.       
  • Lia Carneiro Caldas, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Rio de Janeiro/RJ
    Advogada trabalhista e ambiental, educadora ambiental. Mestre em práticas para o desenvolvimento sustentável pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) – Rio de Janeiro/RJ – Brasil. E-mail: lia.carla.caldas@gmail.com.
  • Alice Sá Rego de Azevedo, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Macaé/RJ
    Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Macaé/RJ - Brasil. E-mail: azevedo.alice19@gmail.com.
  • Isabela Melone Escamilha, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) Campus Nova Friburgo/RJ
    Graduanda em Gestão de Turismo pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Campus Nova Friburgo/RJ – Brasil. E-mail: isabelam.escamilha@gmail.com.
  • Giuliana Mota de Mesquita, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) Campus Nova Friburgo/RJ
    Advogada formada pela UFRJ com pós-graduação em processo Civil. Graduanda em Gestão de Turismo pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Campus Nova Friburgo/RJ – Brasil. E-mail: giuliana.mota.m@gmail.com.
  • Elaine Lopes Peixoto, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) Campus Nova Friburgo/RJ
    Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente participa do grupo de pesquisa "Estudos Integrados em Turismo e Humanidades", do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Campus Nova Friburgo/RJ – Brasil. E-mail: elaine.aic@hotmail.com.

Referências

ANA. AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Produtor de Água. Comitê de Bacia do Rio Macaé. Diagnóstico Sócio-Ambiental e Projeto Técnico de Ações de Conservação do Solo e da Água da Sub Bacia do Alto Curso do Rio Macaé. Lumiar, Nova Friburgo: [S. l.], 2015.

ALTOS DA SERRAMAR CIRCUITOS DE AGROTURISMO. Sítio institucional da rede Altos da Serramar. 2020. Disponível em: https://altosdaserramar.com.br/mapas/. Acesso em: 12 out. 2020.

ARAÚJO, M. C.; LIMA, P. H. F. Diagnóstico Sócio-Ambiental de Nova Friburgo: Agenda 21 de Nova Friburgo. Nova Friburgo: Prefeitura Municipal de Nova Friburgo, 2006.

BRASIL. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. UCs federais registram mais de 15 milhões de visitas em 2019 [online]. 2020. Disponível em: https://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/11139-ucs-federais-registram-15-milhoes-de-visitas-em-2019. Acesso em: 20 jun. 2020.

CALDAS, L. C. C. Roteiro de Agroturismo de São Pedro da Serra e Arredores, Nova Friburgo, RJ. 2014. Dissertação (Mestrado em Práticas em Desenvolvimento Sustentável) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2014.

CARNEIRO, M. J.; BERTOLINO, V. F. A.; BERTOLINO, L. C. Agricultores e território: práticas e saberes. Rio de Janeiro: Trasso Comunicação; CNPq; Faperj, 2010.

CARNEIRO, M. J.; PALM, J. L. Agricultura Familiar: produção, venda e consumo. Nova Friburgo: Instituto de Imagem e Cidadania, 2015.

COMITÊ DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS MACAÉ E OSTRAS. Sítio institucional do CBH Macaé Ostras. 2020. Disponível em: https://cbhmacae.eco.br/a-bacia/mapas/. Acesso em: 12 out. 2020.

COOPER, C.; HALL, C. M.; TRIGO, L. G. G. Turismo contemporâneo. São Paulo: Elsevier Brasil, 2011.

DIAS, R. Turismo sustentável e meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2003.

HAGUETTE, T. M. F. Metodologias Qualitativas na Sociologia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

INEA. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE. APA Estadual de Macaé de Cima: plano de manejo. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: http://www.inea.rj.gov.br/wp-content/uploads/2019/01/RESOLU%C3%87%C3%83O-INEA-N%C2%BA-101-Plano-de-manejo-da-APAMC.pdf . Acesso em: 20 jun. 2020.

IRVING, M.; AZEVEDO, J.; LIMA, M. A. G. Turismo: ressignificando sustentabilidade. Rio de Janeiro: Folio digital. Letra e Imagem, 2018.

IRVING, M. Sustentabilidade e o “futuro que não queremos”: polissemias, controvérsias e tendências para a construção de sociedades sustentáveis. Revista Sinais Sociais, Rio de Janeiro, v. 9 n. 26, p. 13-38, set./dez. 2014. Disponível em: http://www.sesc.com.br/wps/wcm/connect/488930ad-0522-4b49-bb6f-43d2aae234c5/Revista_SSociais_26web.pdf?MOD=AJPERES&CACHEID=488930ad-0522-4b49-bb6f-43d2aae234c5. Acesso em: 21 jun. 2020.

IRVING, M. Turismo, áreas protegidas e inclusão social: uma triangulação necessária em planejamento, no caso brasileiro. In: IRVING, M. A. et al. (org.). Turismo, Áreas Protegidas e Inclusão Social: Diálogos entre saberes e fazeres. 1. ed. Rio de Janeiro: Folio Digital, 2015. v. 1, p. 51-80.

IRVING, M.; LIMA, M. A. G.; MORAES, E. A. Turismos, naturezas e culturas: para se pensar políticas públicas e interdisciplinaridade em pesquisa. In: IRVING, M. A. et al. (org.). Turismo, natureza e cultura: Interdisciplinaridade e políticas públicas. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2016.

LEAL, R. E. S. O turismo desenvolvido em territórios indígenas sob o ponto de vista antropológico. In: BARTHOLO, R.; SANSOLO, D. G.; BURSZTYN, I. Turismo de base comunitária. Diversidade de Olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, 2009.

MAYER, J. M. A criação de Nova Friburgo. In: ARAÚJO, J. R.; MAYER, J. M. (coord.) Teia Serrana: formação histórica de Nova Friburgo. Rio de Janeiro: Editora ao livro técnico, 2003.

NATAL, C. B. O Mundo Rural na Vitrine: O Turismo e as Transformações Socioespaciais em São Pedro da Serra, RJ. 2004. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004.

PETROBRÁS. PETRÓLEO BRASILEIRO S/A. Nossas atividades: principais operações. 2018. Disponível em: http://www.petrobras.com.br/pt/nossas-atividades/principais-operacoes/bacias/bacia-de-campos.htm. Acesso em: 28 set. 2018.

PIRES, P. S. Dimensões do Ecoturismo. São Paulo: Ed. SENAC, 2002.

REGO, V. V. B. S. Paraísos Perdidos ou preservados: os múltiplos sentidos da cidadania em áreas de proteção ambiental. 2010. Tese (Doutorado em Meio Ambiente) - Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

RIO DE JANEIRO (Estado). Resolução CERHI-RJ nº 107, de 22 de maio de 2013. Disponível em https://www.comiteguandu.org.br/legislacoes/ResolucoesCERHI/Resolucao-CERHI-107.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Editora Cortez, 1998.

UNWTO. WORLD TOURISM ORGANIZATION. UNWTO Tourism Highlights 2019 Editions. [online]. 2019. Disponível em: https://www.unwto.org/publication/international-tourism-highlights-2019-edition. Acesso em: 21 jun. 2020.

VALLADARES, L. Os dez mandamentos da observação participante. Revista Brasileira de Ciências Sociais, p. 153-155. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-69092007000100012& script=sci_arttext&tlng=es. Acesso em: 20 jun. 2020.

WHITE, W. F. Sociedade da esquina: a estrutura social de uma área urbana pobre e degradada. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

YOUNÈS, C. Por uma nova cultura do turismo. In: IRVING, M. A. et al. (org.). Turismo, natureza e cultura: Interdisciplinaridade e políticas públicas. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2016.

Publicado

28-11-2020

Edição

Seção

Dossiê Temático: “Pensar e Fazer a Cidade: Educação e Desenvolvimento Local”

Como Citar

MATTOS, Cristiane Passos de; CALDAS, Lia Carneiro; AZEVEDO, Alice Sá Rego de; ESCAMILHA, Isabela Melone; MESQUITA, Giuliana Mota de; PEIXOTO, Elaine Lopes. Rede de agroturismo Altos da Serramar: uma alternativa de desenvolvimento local sustentável na bacia do rio Macaé, RJ, Brasil?. Revista Vértices, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 517–533, 2020. DOI: 10.19180/1809-2667.v22n32020p517-533. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/15526.. Acesso em: 19 jul. 2024.