A importância da política de cotas e os desafios da permanência do aluno cotista na visão de jovens estudantes do IFFluminense Campus Itaperuna

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v24n32022p697-724

Palavras-chave:

Ação Afirmativa, Lei de Cotas, Permanência, Instituto Federal

Resumo

Fruto de uma pesquisa realizada com jovens estudantes dos Cursos Técnicos Integrados do Campus Itaperuna no Instituto Federal Fluminense, o presente artigo debateu a importância das cotas no ensino e levantou questões atinentes aos desafios que a Lei nº 12.711/12 colocou à permanência dos alunos cotistas na respectiva instituição. Baseada em 22 entrevistas, a pesquisa constatou, primeiramente, que boa parte dos entrevistados tinha uma percepção positiva a respeito da lei de cotas, vista como uma importante política de inclusão e reparação histórica. Em segundo lugar, observou que muitos dos participantes compreendem que apenas garantir o acesso com as cotas não é suficiente, sendo também necessário criar condições efetivas para assegurar a permanência desses alunos. Por fim, entre os desafios apontados à permanência, destacou-se o racismo, algo que está presente no dia a dia escolar e que afeta negativamente a vida do estudante negro, sobretudo o cotista, em função das desvantagens provenientes da desigualdade racial no país e da condição de vulnerabilidade socioeconômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcio Toledo Rodrigues, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, Itaperuna/RJ

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Itaperuna/RJ – Brasil. E-mail: marcio.rodrigues0023@gmail.com.

Referências

ALMEIDA, S. L. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

AMARO, S. Racismo, Igualdade racial e Políticas de Ações Afirmativas no Brasil. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015.

BELLINTANI, L. P. Ação Afirmativa e os princípios do Direito: a questão das quotas raciais para ingresso no ensino superior no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2006.

BRASIL. Declaração de Durban e Plano de Ação: Durban + 5. Relatório da III Conferência Mundial Contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata. São Paulo: Prefeitura de São Paulo, CONE; Brasília: Minc, Fundação Cultural Palmares, 2001.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Brasília, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 1 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Lei de Cotas. Brasília, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 1 fev. 2022.

BRASIL. MEC. SETEC. Instituto Federal Fluminense. Deliberação nº 24/2015. Institui o Programa de Assistência Estudantil do Instituto Federal do Fluminense. 2015.

BRASIL. MEC. SETEC. Instituto Federal Fluminense. Histórico do IF Fluminense. Disponível em: https://portal1.iff.edu.br/conheca-o-iffluminense/historico-do-iffluminense. Acesso em: 1 fev. 2022.

BRASIL. MEC. Centenário da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/centenario/historico_edu cacao_profissional.pdf. Acesso em: 10 nov. 2018.

CIAVATTA, M. Universidades Tecnológicas. Horizonte dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFETS)? In: MOLL, J. (org.). Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo Desafios, Tensões e Possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

GOMES, J. B. B. Ação afirmativa e o princípio constitucional da igualdade: O direito como instrumento de transformação social. A experiência dos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

GOMES, N. L. Cultura Negra e Educação. Revista Brasileira de Educação, n. 23, p. 75-85, maio/jun./jul/ago. 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000200006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/XknwKJnzZVFpFWG6MTDJbxc/abstract/?lang=pt. Acesso em: 7 nov. 2022.

GOMES, N. L. A Universidade pública como direito dos (as) jovens negros (as): a experiência do Programa Ações Afirmativas na UFMG. In: SANTOS, S. A. (org.). Ações Afirmativas e combate ao racismo nas Américas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada Alfabetização e Diversidade, 2005.

GUIMARÃES, A. S. A. Racismo e Antirracismo no Brasil. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

HASENBALG, C. Discriminação e Desigualdades raciais no Brasil. Belo Horizonte: UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2005.

HASENBALG, C. A.; SILVA, N. V. Raça e oportunidades educacionais no Brasil. Cad. Pesq, São Paulo, n. 73, p. 5-12, maio 1990. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/1092. Acesso em: 7 nov. 2022.

HASENBALG, C.; SILVA, N. V. Estrutura Social, Mobilidade e Raça. São Paulo: Vértice, Editora Revista dos Tribunais; Rio de Janeiro: Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, 1988.

HASENBALG, C.; SILVA, N. V. (org.). Origens e Destinos: Desigualdades sociais ao longo da vida. Rio de Janeiro: TOPBOOKS, 2003.

HASENBALG, C.; SILVA, N. V. Relações Raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Rio Fundo Editora, 1992.

HENRIQUES, R. Desigualdade racial no Brasil: evolução das condições na década de 90. Brasília: IPEA, 2001.

MATOS, U. R.; BARBOSA, I. M. J. Políticas de permanência como determinantes da equidade no ensino superior na UERJ e na UFBA. 2015. Disponível em: http://www.equidade.faced.ufba.br/sites/equidade.oe.faced.ufba.br/files/politicas_de_permanencia_como_determinantes_da_equidade_no_-_uilma_e_idenilton.pdf. Acesso em: 1 mar. 2019.

MOREIRA, A. O que é racismo recreativo? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

NOGUEIRA, O. Preconceito racial de marca e preconceito racial de origem: sugestão de um quadro de referência para a interpretação do material sobre relações raciais no Brasil. Tempo social, revista de sociologia da USP, v. 19, n. 1, p. 287-308, nov. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-20702007000100015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ts/a/MyPMV9Qph3VrbSNDGvW9PKc/abstract/?lang=pt. Acesso em: 7 nov. 2022.

REIS, D. B.; TENÓRIO, R. M. Cotas e estratégias de permanência no ensino superior. In: TENÓRIO, R. M; VIEIRA, M. A. (org.). Avaliação e sociedade: a negociação como caminho [online]. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 47-66. ISBN 978-85-2320-934-6. Disponível em: https://books.scielo.org/id/3q/pdf/tenorio-9788523209346-04.pdf. Acesso em: 1 fev. 2022.

RIBEIRO, D. Quem tem medo do feminismo negro? São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

SANTOS, D. B. R. Para além das cotas: a permanência de estudantes negros no ensino superior como política de ação afirmativa. 2009. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/11778/1/Tese%20%20Dyane%20Santos.pdf. Acesso em: 1 fev. 2022.

SCHMIDT, M. A. Os Institutos de Educação, Ciência e Tecnologia: um estudo da expansão da rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2010. Disponível em: http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/686/1/2010MicheledeAlmeidaSchimidt.pdf. Acesso em: 1 fev. 2022.

SCHUCMAN, V. Racismo e Antirracismo: a categoria raça em questão. Revista Psicologia Política, v. 10, n. 19, p. 41-55, jan./jun. 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2010000100005. Acesso em: 1 fev. 2022.

SOUZA, A. C. D. Política de Ação Afirmativa no Ensino Médio: Estudo de caso no Cefet Maracanã, Rio de Janeiro. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: https://ppge.educacao.ufrj.br/disserta%C3%A7%C3%B5es2016/dANA%20CAROLINA%20SOUZA%20DUARTE.pdf. Acesso em: 1 fev. 2022.

Publicado

25-11-2022

Como Citar

RODRIGUES, M. T. A importância da política de cotas e os desafios da permanência do aluno cotista na visão de jovens estudantes do IFFluminense Campus Itaperuna. Revista Vértices, [S. l.], v. 24, n. 3, p. 697–724, 2022. DOI: 10.19180/1809-2667.v24n32022p697-724. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/16994. Acesso em: 28 maio. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais