Os filhos de um deus menor: de arisco à chegada à acolhida pela philia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v23n32021p615-634

Palavras-chave:

Estrangeiro, Escola, Hospitalidade, Sociologia pragmática

Resumo

O alargamento da escolarização obrigatória e a tendência dos fluxos migratórios registada em Portugal neste século confrontam-nos com a questão do acolhimento dos alunos estrangeiros na escola. A partir de uma pesquisa empírica em duas escolas do ensino Secundário situadas na área metropolitana de Lisboa, e com recurso a dados provenientes da observação etnográfica e da aplicação de entrevistas semidiretivas, propõe-se uma reflexão em torno das artes de fazer e refazer o comum no plural a partir da figura do estrangeiro. As sociabilidades escolares entre pares e o estabelecimento de relacionamentos de amizade e filiais afigurou-se um ponto de entrada profícuo para compreender os processos de acolhimento daqueles que, porque pouco familiarizados com a escola portuguesa, enfrentam situações de inevitável ansiedade e incerteza num período crítico das suas vidas, a adolescência.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • José Manuel Resende, Universidade de Évora, Portugal
    Doutor em Sociologia pela Universidade Nova de Lisboa (2001). Professor Catedrático no Departamento de Sociologia da Universidade de Évora - Portugal. E-mail: josemenator@gmail.com.
  • José Maria Carvalho, Universidade de Évora, Évora
    Professor Assistente Convidado (Sociologia) na Universidade Nova de Lisboa. Doutorando em Sociologia na Universidade de Évora – Portugal. E-mail: carvalhoze10@hotmail.com.

Referências

AURAY N. Les agrandissements politiques de la jeunesse. Jeu, internet et citoyenneté. In: BREVIGLIERI, M.; CICCHELLI, V. (ed.). Adolescences méditerranéennes: L’espace public à petits pas. Paris: Le Harmattan. 2007. p. 113-126.

BREVIGLIERI, M. L'arc expérientiel de l'adolescence : esquive, combine, embrouille, carapace et étincelle… Éducation et sociétés, v.1, n. 19, p. 99-113, 2007a.

BREVIGLIERI, M. Ouvrir le monde en personne. Une anthropologie des adolescences. In: BREVIGLIERI, M. ; CICCHELLI, V. (ed.). Adolescences méditerranéennes: L’espace public à petits pas. Paris: Le Harmattan, 2007b. p. 19-59.

BREVIGLIERI M.; STAVO-DEBAUGE J. L’hypertrophie de l’œil. Pour une anthropologie du ‘passant singulier qui s’aventure à découvert’. In: CEFAI, D.; SATURNO, C. (ed.). Isaac Joseph, itinéraire d’un pragmatiste. Paris: Economica, 2007. p. 79-98.

DIONÍSIO, B. A gramática do projeto de vida nas políticas de orientação escolas e profissional. In: RESENDE, J. et al. (org.). Pluralidades Públicas do Público? Controvérsias em Educação, Saúde e nos Modos de Ser Solidário. Portalegre: Instituto Politécnico de Portalegre, 2011. p. 139-152.

DIONÍSIO, B. O que os orientadores fazem com os alunos? O trabalho de preparação das competências para uma carreira de escolhas. In: VIEIRA, M. M. O futuro em aberto. Lisboa: Editora Mundos Sociais, 2015. p. 129-154.

FELDER, M. et al. Between Hospitality and Inhospitality: The Janus-Faced ‘Arrival Infrastructure'. Urban Planning, v. 5, n. 3, p. 55-66, 2020.

GÓIS, P.; MARQUES, J. C. Retrato de um Portugal migrante: a evolução da emigração, da imigração e do seu estudo nos últimos 40 anos. E-cadernos CES, v. 29, p. 125-152, 2018.

KARSENTI, B. La société en personnes: Études durkheimiennes. Paris: Economica, 2006.

MACHADO, F. L. Contornos e especificidades da imigração em Portugal. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 24, p. 9-44, 1997.

MACHADO, F. L. Imigração e Imigrantes em Portugal: parâmetros de regulação e cenários de exclusão. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 41, p. 183-188, 2003.

MACHADO, F. L.; MATIAS, A. R.; LEAL, S. F. Desigualdades sociais e diferenças culturais: os resultados escolares dos filhos de imigrantes africanos. Análise Social, n. 176, p. 695-714, 2005.

MACHADO, F. L.; AZEVEDO, J. A investigação sobre imigração e etnicidade em Portugal: tendências, vazios e propostas. Revista Observatório da Imigração, n. 4, p. 7-31, 2009.

MONSMA, K.; TRUZZI, O. Amnésia social e representações de imigrantes: consequências do esquecimento histórico e colonial na Europa e na América. Sociologias, Porto Alegre, v. 20, n. 49, p. 70-108, set./dez. 2018.

PASQUIER, D. Cultures Lycéennes: La Tyrannie de la Majorité. Paris: Éditions Autrement, 2005.

PATARRA, N. L. Migrações internacionais de e para o Brasil contemporâneo: volumes, fluxos, significados e políticas. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 3, p. 23-33, jul./set. 2005.

PATARRA, N. L., Migrações internacionais: teorias, políticas e movimentos sociais. Estudos Avançados, v. 20, n. 57, p. 7-24, 2006.

PEIXOTO, J. Dinâmicas e regimes migratórios: o caso das migrações internacionais em Portugal. Análise Social, n. 183, p. 445-69, 2007.

PEIXOTO, J. et al. (org.). Vagas Atlânticas: Migrações Entre Brasil e Portugal no Início do Século XXI. Lisboa: Editora Mundos Sociais, 2015.

PORTUGAL. Decreto-Lei nº 54, de 6 de julho de 2018. Institui a Presidência do Conselho de Ministros. Diário da República, p. 2918-2928, 2018.

RAYOU, P. La Cité des Lycéens. Paris: Le Harmattan, 1998.

RESENDE, J. M. A Sociedade contra a Escola? A Socialização Política num contexto escolar de incerteza. Lisboa: Edições Piaget, 2010.

RESENDE, J. M. Habitar a Escola? Reflexões sociológicas sobre o princípio der ordem hierárquica e o princípio da ordem convivencial na escola secundária portuguesa. In: RESENDE, J. M. (coord.); MARTINS, A. et al. (ed.). Pluralidades Públicas do Público? Controvérsias em educação, saúde e nos modos de ser solidário. Portalegre: Centro Interdisciplinar de Investigação e de Inovação do IPP, 2011. p. 171-203.

RESENDE, J. M. Dar conta da permanência na escola. In: CARMO, T. G. Dar conta da permanência: Da invisibilidade à publicitação de uma pergunta. Campos dos Goytacazes: Editora Multicultural, 2019a. p. 14 -46.

RESENDE, J. M. As provas da hospitalidade nas escolas do Ensino Secundário em Portugal. In: ESTEVES, P.; TEIXEIRA, P, (org.). Escola Justa: diversidades, desafios e possibilidades. Curitiba: Brazil Publishing, 2019b. p. 64-102.

RESENDE, J. M.; BEIRANTE, D. Educar a Sexualidade a várias temperaturas na Escola Portuguesa. ETD, Campinas, v. 20, n. 2, p. 391-412, abr./jun. 2018.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L. As artes de fazer o comum nos estabelecimentos de ensino: outras aberturas sociológicas sobre os estabelecimentos de ensino. Revista Forum Sociológico, n. 23, p. 97-106, 2013.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L. A sociabilidade escolar à prova do reconhecimento no regime da philia: o (in) aceitável do insulto moral na relação entre pares. In: GUEDES, S. L.; CIPINIUK, T. A. (org.). Abordagens etnográficas sobre educação: Adentrando os muros das escolas. Niterói: FAPERJ, Editora Alternativa, 2014. p. 97-130.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L.; BEIRANTE, D. Hospitalidade e Integração na arquitetura do comum nas sociabilidades escolares. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 50, n. 177, p. 641-659, jul./set. 2020.

RESENDE, J. M.; VIEIRA, M. M. Subculturas Juvenis nas Sociedades Modernas: os Hippies e os Yuppies. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 35, p. 131-147, jun. 1992.

SEABRA, T. Adaptação e Adversidade: o desempenho escolar dos alunos de origem indiana e cabo-verdiana no ensino básico. Lisboa: ICS-UL, 2010.

SEABRA, T. et al. Trajetos e projetos de jovens descendentes de imigrantes à saída da escolaridade básica. Lisboa: Alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, ACIDI, I.P., 2011.

STAVO-DEBAUGE, J. Le concept de “hantises”. De Derrida à Ricoeur (et retour), Études Ricoeuriennes/Ricoeur Studies, v. 3, n. 2, p. 128-148, 2012.

STAVO-DEBAUGE. J. Qu’est-ce que l’hospitalité? Recevoir l’étranger à la communauté. Montréal: Liber, 2017.

TAYLOR, C. The ethics of authenticity. Cambridge: Harvard University Press, Cambridge, 1991.

THÉVENOT, L. L’action au pluriel: Sociologie des régimes d’engagement. Paris: Éditions la Découverte, 2006.

THÉVENOT, L. Des liens du Proches aux Lieux du Public. Retour sur un Programme Franco-Russe Pionnier. Revue d’études comparatives Est-Ouest, v. 3-4, n. 48, p. 7-43, 2017.

VIEIRA, M. M. O futuro em aberto. Lisboa: Editora Mundos Sociais, 2015.

VIEIRA, M. M.; PAPPÁMIKAIL, L.; RESENDE, J. M. Forced to deal with the future: uncertainty and risk in vocational choices among Portuguese secondary school students. The Sociological Review, v. 61, p. 745-768, 2013.

Publicado

25-08-2021

Edição

Seção

Dossiê Temático: "Questões contemporâneas da educação no Brasil e em Portugal"

Como Citar

RESENDE, José Manuel; CARVALHO, José Maria. Os filhos de um deus menor: de arisco à chegada à acolhida pela philia. Revista Vértices, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 615–634, 2021. DOI: 10.19180/1809-2667.v23n32021p615-634. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/15957.. Acesso em: 14 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)