O Arco-da-Velha na Escola: no reconhecimento público das diversidades culturais em escola inclusa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v23n32021p652-670

Palavras-chave:

Multiculturalidade, Interculturalidade, Diversidade cultural, Políticas públicas, Práticas educativas

Resumo

Profissionais de duas escolas, uma portuguesa e outra brasileira, foram postos à prova da inclusão escolar a propósito das suas considerações sobre a maneira como se expressam índices culturais múltiplos nas suas escolas. Como é que essas manifestações culturais coabitam no decurso da escolarização levada a cabo na escola? Que indícios apresentam quando confrontados/as com públicos diversos matriculados na sua escola? Como examinam as convivências entre uns e outros nas atividades proporcionadas pela escola? Como incluem nas aprendizagens os lados tangíveis das expressões culturais no plural? Dando conta dos questionamentos levantados por estes/as profissionais, o artigo mostra como os conceitos de multiculturalismo, interculturalidade e diversidade cultural são ressignificados nas linhas mestres das políticas e ações públicas no Brasil e em Portugal. E a partir desta exploração analítica observar como estas linhas são interpretadas nestas escolas pelos/as profissionais. Para finalmente alargar o questionamento destes conceitos às controvérsias levantadas por cientistas da área da educação que as suscitam a propósito dos intentos públicos manifestados por múltiplas equipas que têm governado a educação nestes países.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • José Manuel Resende, Universidade de Évora, Portugal
    Doutor em Sociologia pela Universidade Nova de Lisboa (2001). Professor Catedrático no Departamento de Sociologia da Universidade de Évora - Portugal. E-mail: josemenator@gmail.com.
  • Guilherme Paiva Carvalho, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Mossoró/RN
    Pós-Doutor em Ciências Sociais pela Universidade de Évora (UÉvora). Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino (UERN/UFERSA/IFRN) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH/UERN) – Mossoró/RN – Brasil. E-mail: guimepaivacarvalho@gmail.com.
  • Aline Raiany Fernandes Soares, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró/RN
    Técnica Administrativa em Educação na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Mestre em Ensino (UERN/UFERSA/IFRN) – Mossoró/RN – Brasil. E-mail: alineraiany722@gmail.com.

Referências

ABRANTES, P. et al. “A escola dos ciganos”: contributos para a compreensão do insucesso e da segregação escolar a partir de um estudo de caso. In: Configurações [Online], v. 18, dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.4000/configuracoes.3658.

ALMEIDA, J. C. P. A Escola e a Diversidade Cultural: Algumas notas sobre a Educação multicultural em Portugal. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 14, n. 5, 2006.

ARAÚJO, M. O silêncio do racismo em Portugal: o caso do abuso verbal racista na escola. In: GOMES, N. L. (org.). Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

BUTLER, J. Deshacer el genero. Barcelona, Buenos Aires, México: Paidos, 2006.

CAETANO, P.; MENDES, M. M. Shaping ways of managing diversity. Portuguese schools, from the student’s perspective. International Review of Sociology, v. 24, n. 2, p. 325-344, 2014.

CANDAU, V. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CARVALHO, G. P.; SILVA, E. A. Justiça Social e Multiculturalismo: as políticas de reconhecimento de identidades étnico-culturais no Brasil. Direitos Fundamentais & Justiça, v. 31, p. 134-159, 2015.

CARVALHO, G. P.; SILVA, E. A. As religiões afro-brasileiras na escola. Revista Iboeroamericana de Educación (Impresa), v. 76, p. 51-72, 2018.

CARVALHO, G. P.; SILVA, E. A. Diversidade Cultural e Relações Étnico-Raciais na Educação. Contrapontos, v. 20, n. 1, p. 196-216, 2020.

FAÍSCA, L.; JESUÍNO, J. Representações sociais da comunidade cigana na sociedade portuguesa. Lisboa: ACIME, 2006.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Trad. Sandra Netz. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

HANASHIRO, D. M. M.; CARVALHO, S. G. Diversidade Cultural: panorama atual e reflexões para a realidade brasileira. REAd, Porto Alegre, edição 47, v. 11, n. 5, set./out. 2005. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/read/article/view/40623. Acesso em: 12 set. 2020.

MAGANO, O. Sentimentos de discriminação e racismo de ciganos portugueses. In: SILVA, C.; SOBRAL, J. (org.). Etnicidade, nacionalismo e racismo: Migrações, minorias étnicas e contextos escolares. Porto: Edições Afrontamento, 2015. p. 235-254.

MARQUES, J. F. Do “não racismo” português aos dois racismos dos portugueses. 2007. Tese (Doutorado) - Alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, ACIDI, I.P., Lisboa, 2007.

MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. F. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MUNANGA, K. Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: Identidade Nacional versus Identidade Negra. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

MUNANGA, K. Educação e diversidade étnico-cultural: a importância da história do negro e da África no sistema educativo brasileiro. In: MÜLLER, T. M. P.; COELHO, W. N. B. (org.). Relações étnico-raciais e diversidade. Niterói: Editora da UFF, 2013. p. 21-34.

MENDES, M. M.; MAGANO, O.; CANDEIAS, P. Des-homogeneizar os Ciganos Portugueses: perfis sociais e heterogeneidade sócio-cultural”. OBETS, Revista de Ciencias Sociales, v. 14, n. 1, p. 49-87, 2019. DOI: https://doi.org/10.14198/obets2019.14.1.02

NICOLAU, L. F. Complexidade no percurso escolar das crianças ciganas: relatos de pais e professores. Configurações, Revista de Sociologia, v. 18, 2016.

PEREIRA, A. A.; ARAÚJO, M. Raça, História e Educação no Brasil e em Portugal: desafios e perspectivas. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 1, p. 139-160, 2017.

RESENDE, J. M. La reconnaissance publique des différences et de la justice scolaire : de la sociologie critique à la sociologie de la critique. Éducation et Sociétés, Revue Internationale de Sociologie de l’Éducation, n. 15, p. 137-152, jan. 2005.

RESENDE, J. M. O Engrandecimento de uma Profissão: Os professores do Ensino Secundário Público no Estado Novo. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação para a Ciência e Tecnologia, 2003.

RESENDE, J. M. A Sociedade contra a Escola? A Socialização Política Escolar num Contexto de Incerteza. Lisboa: Edições Piaget, 2010.

RESENDE, J. M. Testemunhos analíticos sobre a Inclusão Escolar: a escola para todos pondo à prova a Sociologia Pragmática sobre a Socialização política Escolar. In: CARMO, G. T. (org.). Sentidos da Permanência na Educação. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2016a. p. 235-260.

RESENDE, J. M. A vulnerabilidade está hoje ao centro da condição humana moderna? Questionamentos sociológicos a propósito das categorias dos seropositivos e dos alunos “inadaptados” ao mundo escolar. In: José Manuel Resende (coordenador científico), Bruno Dionísio, Pedro Caetano, João Emílio Alves e António Calha (editores). As Artes de (Re) Fazer o Mundo. Habitar, compor e ordenar a vida em Sociedade, Portalegre, Centro Interdisciplinar de Investigação e de Inovação do IPP, 2016b, p. 97-123.

RESENDE, J. M. As provas da hospitalidade nas escolas do Ensino Secundário em Portugal”. In: ESTEVES, P.; TEIXEIRA, P. (org.). Escola Justa: diversidades, desafios e possibilidades. Curitiba: Brazil Publishing, 2019. p. 64-102. DOI: https://doi.org/10.31012/978-85-68419-98-4

RESENDE, J. M. ¿Y si el portador fuese persono? Entre el secreto y la revelación: el conflicto a flor de piel. In: BERNAL, J. C. G. et al. Problemas públicos: controversias y aportes contemporáneos. Ciudad de México: Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora, 2018. p. 509-533.

RESENDE, J. M.; VIEIRA, M. M. As cores da Escola: concepções de justiça nos discursos sobre a multiculturalidade na escola portuguesa. In: CONGRESSO PORTUGUÊS DE SOCIOLOGIA, 4., 2002. Atas 053 […]. Lisboa: APS, 2002. p. 1-20.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L. As artes de fazer o comum nos estabelecimentos de ensino: outras aberturas sociológicas sobre os mundos escolares. Fórum Sociológico, v. 23, p. 97-106, 2013.

RESENDE, J. M.; GOUVEIA, L.; BEIRANTE, D. A escola virou casa. Dilemas do habitar a escola em Portugal. In: RESENDE, J. M.; CAETANO, P. (Ar)riscar em mundos imprevisíveis e incertos: a crise, formas de (des)legitimação e modos de representação e de mobilização. Carviçais: Editora Lema d’Origem, 2020. p. 329-353.

ROSÁRIO, E.; SANTOS, T.; LIMA, S. Discursos do racismo em Portugal: essencialismo e inferiorização nas trocas coloquiais sobre categorias minoritárias. Lisboa: Estudos OI, 2011.

SEABRA, T. Relação das famílias com a escolaridade e sucesso escolar: comparação entre famílias de origem cabo-verdiana, origem indiana e autóctones. Revista Brasileira de Psicologia Educacional, Araraquara, v. 19, n. 1, p. 163-180, jan./jun. 2017.

SEABRA, T. et al. Imigração e escolaridade: trajetos e condições de integração. In: CARMO, R. et al. Desigualdades Sociais: Portugal e a Europa. Lisboa: Mundos Sociais, 2018. p. 301-314.

VIEIRA, M. M.; DIONÍSIO, B. O trabalho e o lugar dos profissionais do social em escolas TEIP. In: LOPES, J. T. (org.). Escolas singulares: Estudos locais comparativos. Porto: Afrontamento, 2012. p. 83-98.

Publicado

25-08-2021

Edição

Seção

Dossiê Temático: "Questões contemporâneas da educação no Brasil e em Portugal"

Como Citar

RESENDE, José Manuel; CARVALHO, Guilherme Paiva de; SOARES, Aline Raiany Fernandes. O Arco-da-Velha na Escola: no reconhecimento público das diversidades culturais em escola inclusa. Revista Vértices, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 652–670, 2021. DOI: 10.19180/1809-2667.v23n32021p652-670. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/15972.. Acesso em: 21 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)