A Lei de Cotas a partir dos seus beneficiários: uma análise dos discursos dos alunos cotistas sobre o Ensino Médio Integrado

Autores

  • Sérgio Rangel Risso Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ https://orcid.org/0000-0003-1254-0330
  • Marcos Abraão Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ https://orcid.org/0000-0002-6185-2448
  • Luciana Machado-Costa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ https://orcid.org/0000-0001-9050-4066
  • Camila Carneiro dos Santos Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ https://orcid.org/0000-0001-5295-5026

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v24n32022p774-805

Palavras-chave:

Cotistas, Análise do discurso, Desigualdade escolar, Ensino médio integrado, Instituto Federal Fluminense

Resumo

Neste artigo analisamos os grupos focais realizados com os alunos cotistas matriculados no ensino médio integrado do Instituto Federal Fluminense Campus Campos Centro, em 2016, nos cursos de Automação Industrial, Edificações, Eletrotécnica, Informática e Mecânica. Como suporte metodológico utilizamos a Análise do Discurso de matriz francesa pela possibilidade de demarcarmos os elementos implícitos nas respostas dos cotistas. Através da relação entre neoliberalismo, individualismo e meritocracia e da sociologia à escala individual de Lahire (2005), sustentamos que os discursos dos cotistas, como responsáveis por “sucesso” e “fracasso”, são decisivos para naturalizar a profunda desigualdade escolar entre os alunos matriculados pelo sistema de cotas e aqueles oriundos da rede privada. Desta forma, a ideologia neoliberal hegemônica fundamenta e legitima a (re)produção das hierarquias e desigualdades sociais não apenas de origem, mas também de destinos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Sérgio Rangel Risso, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
    Mestrado em Políticas Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: sergio.risso@iff.edu.br.
  • Marcos Abraão Ribeiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
    Doutor em Sociologia Política pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: olamarcos@yahoo.com.br.
  • Luciana Machado-Costa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
    Doutoranda em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) Campus Campos Centro – Campos dos Goytacazes, RJ – Brasil. E-mail: lmachadoc75@gmail.com.
  • Camila Carneiro dos Santos Silva , Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF) Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
    Licenciada em Letras Português-Literatura pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF) Campus Campos Centro – Campos dos Goytacazes/ RJ – Brasil. E-mail: camila.carneiross27@gmail.com.

Referências

ALMEIDA, S. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro: Editora Jandaira, 2021.

ANDERSON, P. Balanço do neoliberalismo. In: SADER, E; GENTILI, P. (org.) Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995. p. 9-23.

ANDRADE, D. P. O que é o neoliberalismo? A renovação do debate nas ciências sociais. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 34, n. 1, jan./abr. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/s0102-6992-201934010009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/se/a/RyfDLystcfKXNSPTLpsCnZp/?lang=pt. Acesso em: 18 nov. 2022.

BONNÉRY, S. Fracasso escolar. In: ZANTEN, A. (coord.). Dicionário de educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2011. p. 432-434.

BOURDIEU, P. O senso prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

BRASIL. Decreto nº 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1997. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2208.htm. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. 1971. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L5692.htm. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº 11.741, de 16 de julho de 2008. Altera dispositivos da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para redimensionar, institucionalizar e integrar as ações da educação profissional técnica de nível médio, da educação de jovens e adultos e da educação profissional e tecnológica. Brasília, DF, 2008a. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11741.htm. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 11.892, de 29 dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília, DF, 2008b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL, L. L. Michel Pêcheux e a Teoria da Análise de Discurso: desdobramentos importantes para a compreensão de uma tipologia discursiva. Linguagem - Estudos e Pesquisas, Catalão, v. 15, n. 1, p. 171-182, jan./jun. 2011.

CAETANO, M. R.; PORTO JÚNIOR, M. J.; CRUZ SOBRINHO, S. (org.). Educação profissional e os desafios da formação humana integral: concepções, políticas e contradições. Curitiba: CRV, 2021.

CÂMARA dos Deputados. Repertório bibliográfico sobre a condição do negro no Brasil. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2018.

CARDOSO, A. Escravidão e sociabilidade capitalista. Novos Estudos, São Paulo, n. 80, p. 71-88, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-33002008000100006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/nec/a/rQ69pSZsgmm9ByXjVNRVGwP/?lang=pt. Acesso em: 18 nov. 2022.

CARDOSO, A. A Construção da sociedade do trabalho no Brasil: uma investigação sobre persistência secular das desigualdades. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

CHAVES, K. G. O. et al. Permanência e Êxito Escolar: análise do desempenho acadêmico de estudantes ingressantes no ensino médio integrado do IFRN/Caicó através das cotas étnico-raciais no ano de 2014. Revista Educação e Políticas em Debate, v. 9, n. 3, p. 672-691, set./dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.14393/REPOD-v9n3a2020-57880. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/57880. Acesso em: 18 nov. 2022.

FERES JÚNIOR, J.; DAFLON, V. T. Ação afirmativa na Índia e no Brasil: um estudo sobre a retórica acadêmica. Sociologias (UFRGS), Porto Alegre, v. 17, n. 40, p. 92-123, set./dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/15174522-017004003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/soc/a/k8MczLBcth5xsFDSkkHTQFx/abstract/?lang=pt. Acesso em: 18 nov. 2022.

FERES JÚNIOR, J.; CAMPOS, L. A.; DAFLON, V. T. Ação afirmativa, raça e racismo: uma análise das ações de inclusão racial nos mandatos de Lula e Dilma. Revista de Ciências Humanas, Viçosa, v. 2, n. 2, p. 399-414, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RCH/article/view/3439. Acesso em: 18 nov. 2022.

FRIGOTTO, G. (org.). Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: relação com ensino médio integrado e o projeto societário de desenvolvimento. Rio de Janeiro: UERJ/LPP, 2018.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (org.). Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

GOMES, F. S.; PAIXÃO, M. Raça, pós-emancipação, cidadania e modernidade no Brasil. In: GOMES, F. S.; DOMINGUES, P. Da nitidez e invisibilidade: legados do pós-emancipação no Brasil. Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2013. p. 305-326.

HAYEK, F. A. O caminho da servidão. 5. ed. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1990.

JAPIASSÚ, H; MARCONDES, D. Dicionário básico de filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

KRAWCZYK, N. Reflexões sobre alguns desafios do Ensino Médio no Brasil hoje. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n. 144, p. 752-769, set./dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742011000300006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/mq5QhqMxcsdJ9KfDZjqLmtG/?lang=pt. Acesso em: 18 nov. 2022.

LAHIRE, B. Patrimónios individuais e disposições: para uma sociologia à escala individual. Sociologia, Problemas e Práticas, Lisboa, n. 49, p. 11-42, 2005. Disponível em: http://hdl.handle.net/10071/200. Acesso em: 18 nov. 2022.

LAHIRE, B. A fabricação social dos indivíduos: quadros, modalidades, tempos e efeitos de socialização. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. especial, p. 1393-1404, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-9702201508141651. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/Psk6v9crGTjWcs9QmJdLfsD/?lang=pt. Acesso em: 18 nov. 2022.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: O neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

NEGRO, A. L.; GOMES, F. Além das senzalas e fábricas: um certo número de ideias para uma irrestrita história social do trabalho. In: GOMES, F. S.; DOMINGUES, P. Da nitidez e invisibilidade: legados do pós-emancipação no Brasil. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. p. 25-43.

NOGUEIRA, C. A análise do discurso. In: ALMEIDA, L.; FERNANDES, E. (ed.). Métodos e técnicas de avaliação: novos contributos para a prática de investigação. Braga: CEEP, 2001.

OLIVEIRA, A.; SILVA, C. F. A recepção de Pierre Bourdieu na sociologia da educação brasileira. Teorias, métodos e pesquisa educacional, São Paulo, v. 51, p. 1-17, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/198053147292. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/HJ7s77xVF3GvzqwgLsFD7Wz/?lang=pt. Acesso em: 18 nov. 2022.

ORLANDI, E. L. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 2. ed. Campinas: Pontes, 2007.

PICANÇO, F. Juventude e acesso ao ensino superior no Brasil: Onde está o alvo das políticas de ação afirmativa. Latin American Research Review, Cambridge, v. 51, n. 1, p. 109-131, 2016.

RATEKE, D. As contradições em torno do acesso e da permanência de estudantes da classe trabalhadora por meio da implementação da Lei de Cotas nos cursos de ensino médio técnico Integrado do IFSC - Campus Florianópolis. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

RIBEIRO, M. A.; COSTA, L. M.; RISSO, S. R. Avanços, Contradições e Desafios da Política de Cotas na Educação Básica: o Caso do Ensino Médio Profissionalizante do IFF Campus Campos Centro (2016-2018). Revista Tomo, v. 1, p. 399-327, 2021.

RIO DE JANEIRO (Estado). Lei Estadual nº.4.151, de 04 de setembro de 2003. Institui nova disciplina sobre o sistema de cotas para ingresso nas universidades públicas estaduais e dá outras providências. Rio de Janeiro, RJ, 2003. Disponível em: http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/contlei.nsf/e9589b9aabd9cac8032564fe0065abb4/e50b5bf653e6040983256d9c00606969?OpenDocument#:~:text=Lei%20Ordin%C3%A1ria&text=LEI%20N%C2%BA%204151%2C%20DE%2004,ESTADUAIS%20E%20D%C3%81%20OUTRAS%20PROVID%C3%8ANCIAS. Acesso em: 18 nov. 2022.

RODRIGUES, M. T. A implementação da política de cotas raciais no campus Itaperuna do Instituto Federal Fluminense: os desafios da permanência. 2020. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

SANTOS, D. S. Democratização do acesso ao Ensino Médio Integrado no IFSP: o contexto da implementação da Lei de reserva de vagas. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

SILVA, N. P. Juventude e escola: a constituição dos sujeitos de direito no contexto das políticas de ações afirmativas. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

VANDENBERGHE, F. A sociologia na escala individual. 2017. Disponível em https://blogdolabemus.com/2017/06/13/a-sociologia-na-escala-individual-1-por-frederic-vandenberghe/. Acesso em: 18 fev. 2022.

VENUGOPAL, R. Neoliberalism as Concept. Economy and Society, London, v. 44, n. 2, p. 165-187, 2015. DOI: https://doi.org/10.1080/03085147.2015.1013356. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/03085147.2015.1013356. Acesso em: 18 nov. 2022.

Publicado

25-11-2022

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

RISSO, Sérgio Rangel; RIBEIRO, Marcos Abraão; MACHADO-COSTA, Luciana; SILVA , Camila Carneiro dos Santos. A Lei de Cotas a partir dos seus beneficiários: uma análise dos discursos dos alunos cotistas sobre o Ensino Médio Integrado. Revista Vértices, [S. l.], v. 24, n. 3, p. 774–805, 2022. DOI: 10.19180/1809-2667.v24n32022p774-805. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/16996.. Acesso em: 14 jun. 2024.