Institutos Federais: entre o excesso de passado e a incerteza do futuro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v25n32023.20710

Palavras-chave:

institutos federais, identidade institucional, historicidade, educação emancipadora, ensino integrado

Resumo

Este trabalho faz uma análise da política de criação dos Institutos Federais, quinze anos após sua implementação, no que diz respeito à sua identidade institucional. O estudo se concentra na reflexão acerca da identidade dos Institutos Federais (IFs): instituições multicampi, marcadas pela diversidade de cursos, modalidades e níveis de ensino, bem como com histórias e contextos sociais diferentes. Para isso, o artigo foca sua atenção na análise do objeto a partir da categoria historicidade: busca-se entender como o ensino profissional foi concebido no Brasil ao longo do tempo e os impactos que essas visões e disputas desempenharam na identidade dos Institutos Federais. A partir desse debate, infere-se para as perspectivas futuras da instituição, frente aos desafios que atualmente estão colocados. A título de conclusão, o estudo reconhece a potencialidade da política em análise no que diz respeito à oferta de educação emancipadora, sem deixar de apontar para dilemas, desafios, contradições e ameaças que a Rede Federal precisa enfrentar.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Tiago Fávero de Oliveira, IF Sudeste MG Campus Santos Dumont/MG
    Doutor em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH/UERJ). Professor de Filosofia e Sociologia do IF Sudeste MG Campus Santos Dumont/MG – Brasil. E-mail: tiago.favero@yahoo.com.br.

Referências

ANTUNES, R.; PINTO, G. A. A Fábrica da Educação: da especialização taylorista à flexibilização toyotista. São Paulo: Cortez, 2017. 120 p.

BOITO JR., A. Reforma e crise política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT. Campinas: Ed. Unicamp; São Paulo: Ed. Unesp, 2018. 331 p.

CIAVATTA, M. A historicidade das reformas da educação profissional. Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, ano 11, v. 19, n. 39, p. 50-64, jan./jun. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/educacao/article/view/10246/7032. Acesso em: 13 set. 2023.

CIAVATTA, M. O materialismo histórico e a pesquisa em educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, Natal, v. 1, n. 22, e13896, 2022. DOI: https://doi.org/10.15628/rbept.2022.13869. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/13869. Acesso em: 13 set. 2023.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. 2. ed. São Paulo: Editora Unesp; Brasília, DF: FLACSO, 2005a.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. 2. ed. São Paulo: Editora Unesp; Brasília, DF: FLACSO, 2005b.

CUNHA, L. A. O ensino profissional na irradiação do industrialismo. 2. ed. São Paulo: Editora Unesp; Brasília, DF: FLACSO, 2005c.

FERNANDES, F. O desafio educacional. São Paulo: Expressão Popular, 2020.

FREITAS, L. C. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FRIGOTTO, G. (org.). Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: Relação com o ensino médio integrado e o projeto societário de desenvolvimento. Rio de Janeiro: LPP/UERJ, 2018. 320 p.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (org.). Ensino Médio Integrado: concepções e contradições. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

HORA, L. C. A.; SOUSA, A. P. R. Educação Profissional no Maranhão no contexto das políticas de expansão da Rede Federal de ensino. In: LIMA FILHO, D. L.; SANTOS, J. D. G.; NOVAES, H. T. (org.). Educação profissional no Brasil do século XXI: políticas, críticas e perspectivas: vol. 2. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2023. p. 299-326. DOI: https://doi.org/10.36311/2023.978-65-5954-344-1.p299-326. Disponível em: https://ebooks.marilia.unesp.br/index.php/lab_editorial/catalog/view/397/3931/7067. Acesso em: 13 set. 2023.

KONDER, L. A questão da ideologia. São Paulo: Expressão Popular, 2020.

LIMA FILHO, D. L. A inter-relação trabalho, tecnologia, ciência e cultura como base para a formação integral na educação profissional e tecnológica. In: LIMA FILHO, D. L.; SANTOS, J. D. G.; NOVAES, H. T. (org.). Educação profissional no Brasil do século XXI: políticas, críticas e perspectivas: vol. 2. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2023. p. 25-47. DOI: https://doi.org/10.36311/2023.978-65-5954-344-1.p25-48. Disponível em: https://ebooks.marilia.unesp.br/index.php/lab_editorial/catalog/view/397/3921/7057. Acesso em: 13 set. 2023.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302006000100003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/NGFTXWNtTvxYtCQHCJFyhsJ/abstract/?lang=pt#. Acesso em: 13 set. 2023.

MANACORDA, M. A. História da Educação: da Antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez, 2004.

MARX, K. O 18 de Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política: livro I: o processo de produção do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MORAES, G. H. Identidade de Escola Técnica vs. Vontade de Universidade: a Formação da Identidade dos Institutos Federais. 2016. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2016.06.T.21409. Disponível em: http://ojs.ifes.edu.br/index.php/ept/article/view/1039. Acesso em: 13 set. 2023.

OLIVEIRA, T. F. A Educação Profissional e Tecnológica a partir das Novas Diretrizes: da precarização à privatização. Educação Profissional e Tecnológica em Revista, v. 5, n. 2, p. 205-228, 2021. DOI: https://doi.org/10.36524/profept.v5i2.1039. Disponível em: http://ojs.ifes.edu.br/index.php/ept/article/view/1039. Acesso em: 29 maio 2023.

OLIVEIRA, T. F. Educação Profissional e Tecnológica e Neoliberalismo no Brasil: retroceder, treinar e capacitar para a precarização. Revista Desenvolvimento e Civilização. Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 37-56, jan./jul. 2023a.

OLIVEIRA, T. F. Contrarreformas neoliberais e formação para o trabalho nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: entre o público e o privado. 2023. Tese (Doutorado) – Programa de Políticas Públicas e Formação Humana, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2023b.

OLIVEIRA, T. F. A barbárie neoliberal e a escola: a formação de empreendedores para um mundo sem direitos e sem emprego. Revista Trabalho Necessário, v. 21, n. 44, p. 1-24, jan./abr. 2023c. Disponível em: https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/57268. Acesso em: 30 maio 2023.

OLIVEIRA, T. F.; FRIGOTTO, G. As bases da educação profissional e tecnológica em sua relação com a sociedade brasileira: concepções e práticas em disputa. In: FRIGOTTO, G. O Ensino Médio no Brasil e sua (im)possibilidade histórica. Rio de Janeiro: Expressão Popular/LPP, 2023. p. 372-404.

OTRANTO, C. R. Criação e implantação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia – IFETs. Revista RETTA, Seropédica, Ano I, n. 1, jan./jun. 2010.

PACHECO, E. (org.). Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília: Fundação Santillana; São Paulo: Moderna, 2011. 120 p. Disponível em: https://www.fundacaosantillana.org.br/wp-content/uploads/2019/12/67_Institutosfederais.pdf. Acesso em: 13 set. 2023.

PACHECO, E.; PEREIRA, L. A. C.; DOMINGOS SOBRINHO, M. Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: limites e possibilidades. Revista Linhas Críticas, Brasília, v. 16, n. 30, 2010. DOI: https://doi.org/10.26512/lc.v16i30.3568. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/3568. Acesso em: 13 set. 2023.

PAULO NETTO, J. Introdução ao Estudo do Método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

PORTO JÚNIOR, M. J.; SAN SEGUNDO, M. A. C. Dos limites do neodesenvolvimentismo à ortodoxia neoliberal: o impacto na luta por uma educação integral nos Institutos Federais. In: LIMA FILHO, D. L.; SANTOS, J. D. G.; NOVAES, H. T. (org.). Educação profissional no Brasil do século XXI: políticas, críticas e perspectivas: vol. 2. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2023. p. 273- 298. DOI: https://doi.org/10.36311/2023.978-65-5954-344-1.p273-298. Disponível em: https://ebooks.marilia.unesp.br/index.php/lab_editorial/catalog/view/397/3930/7066. Acesso em: 13 set. 2023.

RAMOS, M. A política de educação profissional no Brasil contemporâneo: avanços, recuos e contradições frente a projetos de desenvolvimento em disputa. In: CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS (CGEE). Mapa da educação profissional e tecnológica: experiências internacionais e dinâmicas regionais brasileiras. Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), 2015. p. 97-117.

RAVITCH, D. Vida e Morte do Grande Sistema Escolar Americano: Como os Testes Padronizados e o Modelo de Mercado Ameaçam a Educação. Porto Alegre: Sulima, 2011.

SARDINHA, R.; SOUZA, F. A. O financiamento da educação básica no governo Bolsonaro em tempos de financeirização do capital. In: LEHER, R. (org.). Educação no governo Bolsonaro: inventário da devastação. São Paulo: Expressão Popular, 2023. p. 161-186.

SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, v. 1, n. 1, p. 131-152, mar. 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1981-77462003000100010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/zLgxpxrzCX5GYtgFpr7VbhG/?lang=pt. Acesso em: 13 set. 2023.

TARLAU, R.; MOELLER, K. O consenso por filantropia: como uma fundação privada estabeleceu a BNCC no Brasil. Currículo sem Fronteiras, v. 20, n. 2, p. 553-603, maio/ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.35786/1645-1384.v20.n2.11.

Publicado

05-10-2023

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

Institutos Federais: entre o excesso de passado e a incerteza do futuro. Revista Vértices, [S. l.], v. 25, n. 3, p. e25320710, 2023. DOI: 10.19180/1809-2667.v25n32023.20710. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/20710.. Acesso em: 14 abr. 2024.