Qualidade da Água do rio Itabapoana: Análise dos Parâmetros Físico-Químicos e Microbiológicos e Influência de Empreendimentos Hidrelétricos

Autores

  • Ednilson Gomes Souza Junior UENF
  • Vicente de Paulo Santos de Oliveira Instituto Federal Fluminense (IFFluminense)

DOI:

https://doi.org/10.19180/2177-4560.v11n12017p29-41

Palavras-chave:

Qualidade da água. Bacia do Itabapoana. Energia Hidrelétrica.

Resumo

A Bacia do Itabapoana está localizada na região Sudeste, abrangendo total ou parcialmente a área de 18 municípios dos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A região apresenta altos índices de degradação ambiental, como falta de cobertura vegetal, lançamento de esgoto in natura e exploração hidrelétrica. Este trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade da água do rio Itabapoana mediante análises físico-químicas e microbiológicas no período de julho a dezembro de 2014, numa avaliação em escala temporal e espacial. Foram avaliados os seguintes parâmetros: oxigênio dissolvido, sólidos totais disponíveis, turbidez, pH, condutividade elétrica e coliformes termotolerantes. Todos os parâmetros avaliados estavam em conformidade com os limites estabelecidos pela resolução CONAMA 357/05, exceto o parâmetro coliformes termotolerantes.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Ednilson Gomes Souza Junior, UENF
    Doutorando em Políticas Sociais (UENF). E-mail: ednilson.junior@yahoo.com.br.
  • Vicente de Paulo Santos de Oliveira, Instituto Federal Fluminense (IFFluminense)
    Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professor Titular do Instituto Federal Fluminense (IFFluminense) - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. E-mail: vsantos@iff .edu.br

Downloads

Publicado

30-10-2017

Edição

Seção

Artigos originais

Como Citar

Qualidade da Água do rio Itabapoana: Análise dos Parâmetros Físico-Químicos e Microbiológicos e Influência de Empreendimentos Hidrelétricos. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 29–41, 2017. DOI: 10.19180/2177-4560.v11n12017p29-41. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/boletim/article/view/7579.. Acesso em: 22 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)