Sistema de Vedação Vertical em Fachada Ventilada Opaca: estudo de caso sobre empreendimentos brasileiros

Autores

  • Carina Maccari Blazius Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC
  • Ana Lígia Papst de Abreu Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC
  • Andrea Murillo Betioli Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v22n32020p610-625

Palavras-chave:

Fachada ventilada, Fachadas respirantes, Fachada não aderida, Revestimento externo

Resumo

A fachada ventilada é um sistema construtivo que promove vantagens como agilidade na execução, alta produtividade, redução das etapas de controle de recebimento de materiais e de produção, entre outros. O Brasil não possui normas prescritivas sobre a construção de fachada ventilada opaca, contudo a NBR 15.575 pode ser aplicada para avaliação do desempenho de edifícios de uso residencial. Este artigo tem como objetivo organizar informações do sistema de construção de fachadas ventiladas opacas, contribuindo para a disseminação do uso dessa tecnologia no Brasil. O método adotado foi a pesquisa de dados em empresas brasileiras que utilizam o sistema de fachada opaca ventilada. As análises foram feitas quanto à localização, materiais utilizados, tipo de edifício (novo ou retrofit) e tipo de ocupação (residencial, comercial, institucional). Os resultados mostram que o uso do isolamento térmico é predominante em residências e prédios institucionais com fachada ventilada opaca, sendo que a cerâmica é o material mais utilizado no Brasil, apesar da variedade de materiais de revestimento externo. A pesquisa mostra que 78% dos edifícios com fachadas ventiladas opacas são de uso não residencial, portanto não há normas para sua utilização. Por fim, conclui-se que são necessários mais trabalhos acadêmicos sobre fachadas ventiladas opacas, ajudando, dessa forma, a consolidar normas prescritivas específicas no Brasil.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Carina Maccari Blazius, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC
    Engenheira Civil pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC – Brasil. E-mail: c.maccari@outlook.com.
  • Ana Lígia Papst de Abreu, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC
    Doutora em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC – Brasil. E-mail: ana.abreu@ifsc.edu.br.  
  • Andrea Murillo Betioli, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC
    Doutora em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Campus Florianópolis/SC – Brasil. E-mail: andrea.betioli@ifsc.edu.br.

Referências

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.575-1: Edificações Habitacionais, Desempenho parte 1: requisitos gerais. Rio de Janeiro: ABNT, 2013.

BARBOSA, S.; IP, K. Predicted thermal acceptance in naturally ventilated office buildings with Double skin façades under Brazilian climates. Journal of Building Engineering, Inglaterra, v. 7, p. 92-102, Sep. 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jobe.2016.05.006.

CAUSS, L. W. Sistema de Fachada Ventilada em Edificações: Características, Métodos Executivos e Aplicações. 2014. 107 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Curso de Engenharia Civil, Florianópolis, 2014.

EPE. EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Balanço Energético Nacional 2020: Ano base 2019. Relatório final. Rio de Janeiro: EPE, 2020. Disponível em: http://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/balanco-energetico-nacional-2020. Acesso em: 7 maio 2020.

ETAG. EUROPEAN TECHNICAL APPROVAL GUIDELINES. ETAG 034: ventilated cladding kits comprising cladding components and associated fixings. Brussels, 2012.

FLUMROC. Façades Ventilées: Belles et fiables. Zurich: Flumroc, 2017. 27 p. Disponível em: https://www.flumroc.ch/adl/fr/downloads/publications/d-downloads /hinterlueftete-fassade/d-c/Download/d-a/download/. Acesso em: 10 nov. 2018.

GOETGHELUCK, L. Isolation thermique par l’extérieur en rénovation. Batirama, França, 6 Abr. 2011. Disponível em: https://www.batirama.com/article/2108-isolation-thermique-par-l-exterieur-en-renovation.html. Acesso em: 6 nov. 2018.

GRACIA, A. et al. A simple model to predict the thermal performance of a ventilated facade with phase change materials. Energy and Buildings, Espanha, v. 93, p. 137-142, 15 abr. 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2015.01.069.

GUIGNARD, S. Histoire de la recherche sur l’enveloppe du bâtiment: De l’habitat bioclimatique au bâtiment à énergie positive.França: ADEME, 2010. 56 p. Disponível em: https://www.ademe.fr/sites/default/files/assets/documents/77907_enveloppe_du_batiment.pdf. Acesso em: 8 out. 2018.

HANSUELI, S. Fiche Technique Commission technique façades: Pose d’Isolations Thermiques pour Façades Ventilées. Suiça: Enveloppe Des Édifices Suisse, 2014. Disponível em: https://www.swisspor.ch/images/content/pdf/anwendungen/documentation_fr/fichestech_ghch/gs_gmb_pose_disolations_14_cf_fr.pdf. Acesso em: 6 nov. 2018.

HILTI. Catalogue Façade Ventilée. França: Hilti, 2018. 118 p. Disponível em: https://www.hilti.fr/content/dam/documents/pdf/e2/fr/Catalogue%20facade%202018.pdf. Acesso em: 10 nov. 2018.

LE PARISIEN. Cinq principales sources de déperdition. Disponível em: http://www.leparisien.fr/une/cinq-principales-sources-de-deperdition-26-02-2009-423652.php. Acesso em: 8 out. 2018.

MEDEIROS, J. S.; SABBATINI, F. H. Tecnologia e projeto de revestimentos cerâmicos de fachada de edifícios. 1999. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Escola Politécnica, São Paulo, 1999.

ROCHA, A. Fachada ventilada: Industrial e sem desperdício de resíduos, sistema de fachada com cerâmica extrudada começa a se disseminar em edifícios comerciais. Téchne, São Paulo, v. 176, p.1-3, nov. 2011. Mensal. Disponível em: http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/176/artigo287888-1.aspx. Acesso em: 23 nov. 2018.

SANJUAN, C. et al. Energy performance of an open-joint ventilated façade compared with a conventional sealed cavity façade. Solar Energy, Espanha, v. 85, n. 9, p. 1851-1863, Sep. 2011. DOI: https://doi.org/10.1016/j.solener.2011.04.028.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 3. ed. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001. 121 p.

SILVA, L. F. B.; THOMAZ, E.; OLIVEIRA, L. A. Ventilated cladding systems: structural and drainability performance criteria. Ambiente Construído [online], v. 18, n. 3, p. 341-358, Sep. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/s1678-86212018000300285.

SOUSA, F. M. F. Fachadas Ventiladas em Edifícios: Tipificação de soluções e interpretação do funcionamento conjunto suporte/acabamento. 2009. 114 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Porto, Curso de Engenharia Civil, Engenharia Civil, Porto, Portugal, 2010.

ULMA. Painéis de concreto polímero instalados em novo edifício residencial de São Paulo. Disponível em: https://www.ulmaarchitectural.com/pt-br/fachadas-ventiladas/projetos/paineis-de-concreto-polimero-instalados-em-novo-edificio-residencial-de-sao-paulo. Acesso em: 23 nov. 2018.

Publicado

25-11-2020

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

BLAZIUS, Carina Maccari; DE ABREU, Ana Lígia Papst; BETIOLI, Andrea Murillo. Sistema de Vedação Vertical em Fachada Ventilada Opaca: estudo de caso sobre empreendimentos brasileiros. Revista Vértices, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 610–625, 2020. DOI: 10.19180/1809-2667.v22n32020p610-625. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/15483.. Acesso em: 19 jul. 2024.