Formação de Professores e Educação de Jovens e Adultos: uma análise de cursos de Licenciatura em Química de instituições federais do Rio de Janeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v25n22023.19113

Palavras-chave:

educação de jovens e adultos, formação de professores, licenciatura em química

Resumo

Quando se discute sobre o exercício da docência na educação básica são expressivas as argumentações ligadas às especificidades da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio, bem como as adaptações de linguagem que devem ocorrer em cada etapa. A EJA também requer as mesmas premissas desse debate, sendo necessária uma formação exclusiva para o professor atuante nessa modalidade. O presente estudo tem como objetivo principal analisar como os cursos de Licenciatura em Química das instituições federais IFRJ e UFRJ têm preparado os licenciandos para atuarem na EJA. Esta pesquisa, de cunho qualitativo, foi desenvolvida a partir de uma revisão bibliográfica e de uma análise documental. Para isso, foi efetuada uma explanação teórica referente à formação de professores para a EJA, além de dedicar uma parte do trabalho para tratar especificamente da formação dos professores de Química. Posteriormente, foram pesquisadas e categorizadas as disciplinas voltadas à educação e ao ensino de Química das instituições citadas. Em seguida, tendo como referência os Projetos Pedagógicos dos Cursos e suas matrizes curriculares, foram analisadas as ementas dessas disciplinas, buscando verificar como a EJA vem sendo contemplada nessas licenciaturas. Como resultado, concluiu-se que os avanços em relação à inserção dos estudos sobre a EJA nos cursos de licenciatura seguem de forma lenta, através da oferta de disciplinas optativas para a EJA.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Jardel da Silva Oliveira Junior, Secretaria Municipal de Educação de São João de Meriti/RJ
    Mestre em Geografia pela UFRRJ (2019). Professor de Geografia na Secretaria Municipal de Educação de São João de Meriti/RJ – Brasil. E-mail: jardeljunior21@gmail.com.
  • Elizabeth Augustinho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Rio de Janeiro/RJ
    Doutora em Ensino de Ciências pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). Pedagoga e professora do Curso de Pós-Graduação lato sensu em Educação de Jovens e Adultos, ambos no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) – Rio de Janeiro/RJ – Brasil. E-mail: elizabeth.augustinho@ifrj.edu.br.
  • Andrea de Moraes Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Rio de Janeiro/RJ
    Doutora em Química Inorgânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Professora titular aposentada e Professora do Curso de Pós-Graduação lato sensu em Educação de Jovens e Adultos, ambos no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) – Rio de Janeiro/RJ – Brasil. E-mail: andrea.silva@ifrj.edu.br.

Referências

ABREU JÚNIOR, J. M.; RODRIGUES, M. G.; NOGUEIRA, V. S. Inserção da EJA no currículo da Licenciatura em Química: uma proposta de pesquisa-ação e formação de professores. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 18., 2016, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: UFSC, 2016. Disponível em: https://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R0131-1.pdf. Acesso em: 28 out. 2022.

ARROYO, M. Formar educadoras e educadores de jovens e adultos. In: SOARES, L. (org.). Formação de Educadores de Jovens e Adultos. Belo Horizonte: Autêntica, SECAD-MEC/UNESCO, 2006. p. 17-32. Disponível em: http://forumeja.org.br/un/files/Formacao_de_educadores_de_jovens_e_adultos_.pdf. Acesso em: 28 out. 2022.

AUGUSTINHO, E.; VIEIRA, V. S. Aprendizagem Significativa como alicerce para metodologias ativas no ensino de ciências: uma interlocução em prol da educação de jovens e adultos. Nova Revista Amazônica, v. 9, n. 1, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.18542/nra.v9i1.10027. Disponível em: https://www.periodicos.ufpa.br/index.php/nra/article/view/10027/. Acesso em: 28 out. 2022.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em 28 ago. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução Nº 01/2021 de 25 de maio de 2021. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos nos aspectos relativos ao seu alinhamento à Política Nacional de Alfabetização (PNA) e à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e Educação de Jovens e Adultos a Distância. 2021. Disponível em: https://www.gov.br/mec/pt-br/media/acesso_informacacao/pdf/DiretrizesEJA.pdf. Acesso em: 11 mar. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer CNE/CEB nº 11/2000 de 10 de maio de 2000. Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja/legislacao/parecer_11_2000.pdf. Acesso em: 13 maio 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CES nº 1.303/2001 de 6 de novembro de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química. Brasília, DF: MEC/CNE, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1303.pdf. Acesso em: 10 jul. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 11 mar. 2023.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 22 out. 2022.

CALIXTO, J. A. Formação de professores de Química para atuação na EJA. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Licenciatura em Química) – Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2016. 35p.

CARRANO, P. Educação de Jovens e Adultos e Juventude: o desafio de compreender os sentidos da presença dos jovens na escola da “segunda chance”. Revista REVEJA (UFMG), online, 2007.

CHAVES, S. S. A importância do letramento na educação de jovens e adultos. Revista Filosofia Capital, Brasília-DF, v. 3, n. 7, p. 3-23, 2008. Disponível em: http://www.filosofiacapital.org/ojs-2.1.1/index.php/filosofiacapital/article/view/74. Acesso em: 9 out. 2022.

CURY, C. R. J. A educação escolar, a exclusão e seus destinatários. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 48, p. 205-222, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-46982008000200010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edur/a/PHhyxsVmtHVxX6Hjtn5ZkZp/?lang=pt. Acesso em: 28 out. 2022.

DANTAS, F. M.; PALHARES, E. A.; SILVA, F. C. A EJA em tempos de alinhamento à BNCC: Reflexões no âmbito do GEPEJA. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO. Formação de professores, compromisso social e direito à educação: (re)construindo uma agenda democrática, 13., 2022, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: UERJ, 2022. Disponível em: https://anfope.org.br/anais/index.php/anais/article/view/30/252. Acesso em: 17 jul. 2023.

FERREIRA, D. F.; CAMPOS, A. M. Educação de jovens e adultos como educação popular: direito a ser conquistado. Crítica Educativa, v. 3, n. 3, p. 66-77, 2017. DOI: https://doi.org/10.22476/revcted.v3i3.286. Disponível em: https://www.criticaeducativa.ufscar.br/index.php/criticaeducativa/article/view/286/373. Acesso em 28 ago. 2023.

FERNANDES, G. P.; SIRAICHI, J. T. G. Um novo olhar para a EJA: Educação de idosos. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 38., 2017, São Luís-MA. [Anais] […]. São Luís-MA: ANPEd, 2017. Disponível em: http://38reuniao.anped.org.br/sites/default/files/resources/programacao/trabalho_38aanpe_2017_GT18_601.pdf. Acesso em: 28 de out. 2022.

FRANZOI, N. L. et al. O estudante trabalhador na escola pública: um direito negado? Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 27, n. 136, out. 2019. DOI: https://doi.org/10.14507/epaa.27.4068. Disponível em: https://epaa.asu.edu/index.php/epaa/article/view/4068. Acesso em: 16 jan. 2022.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 42. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S. (coord.). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em: https://www.fcc.org.br/fcc/wp-content/uploads/2019/04/Professores-do-Brasil-impasses-e-desafios.pdf. Acesso em: 16 jan. 2022.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GOUVEIA, F. P. S; SILVA, T. M. A. (org.). Contribuições para o debate sobre Educação de Jovens e Adultos. Curitiba: Appris, 2014.

IFRJ. Projeto Político-Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Campus Duque de Caxias. Duque de Caxias, 2021. Disponível em: https://portal.ifrj.edu.br/sites/default/files/IFRJ/PROGRAD/2020_1-ementario_unidades_curriculares_obrigatorias_e_optativas_lq_ifrj_duque_de_caxias.pdf. Acesso em: 11 mar. 2023.

IFRJ. Projeto Político-Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Campus Nilópolis. Nilópolis, 2019. Disponível em: https://portal.ifrj.edu.br/sites/default/files/IFRJ/PROGRAD/ementario_lq-nil_2018-outubro2018.pdf. Acesso em: 11 mar. 2023.

KONDER, L. Marx e a Sociologia da educação. In: TURA, M. L. R. (org.). Sociologia para Educadores. Rio de Janeiro: Quartet, 2001. p. 11-25.

LIRA, T. R.; LIRA, M. T. R.; MARTINS, G. V. Por um ensino que forme professores de Química para a modalidade de ensino de jovens e adultos. Revista de Pesquisa Interdisciplinar, Cajazeiras, n. 2, suplementar, p. 189-198, set. 2017. Disponível em: https://cfp.revistas.ufcg.edu.br/cfp/index.php/pesquisainterdisciplinar/article/download/348/pdf. Acesso em: 28 out. 2022.

MACHADO, M. M. Formação de professores para a EJA: uma perspectiva de mudança. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 161-174, jan./dez. 2008. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/133. Acesso em: 16 jan. 2022.

MARTINS, R. M. K. Pedagogia e andragogia na educação de jovens e adultos. Revista Educação Popular, v. 12, n. 1, p. 143-153, 2013. DOI: https://doi.org/10.14393/rep-v12n12013-rel04. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/20331. Acesso em: 28 out. 2022.

NICODEMOS, A.; SERRA, E. Educação de Jovens e Adultos em contexto pandêmico: entre o remoto e a invisibilidade nas políticas curriculares. Currículo Sem Fronteiras, v. 20, n. 3, p. 871-892, set./dez. 2020. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol20iss3articles/nicodemos-serra.html. Acesso em: 25 jan. 2021.

PAIVA, J.; SALES, S. R. Contextos, perguntas, respostas: o que há de novo na educação de jovens e adultos? Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 21, n. 69, 2013. DOI: https://doi.org/10.14507/epaa.v21n69.2013. Disponível em: https://epaa.asu.edu/index.php/epaa/article/view/1456. Acesso em: 8 out. 2022.

SANTOS, I. M.; MASSENA, E. P.; SÁ, L. P. O lugar da EJA na formação inicial de professores de Química da Bahia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 8., 2011, Campinas. Anais […]. Campinas: Unicamp, 2011. Disponível em: https://abrapec.com/atas_enpec/viiienpec/resumos/R0405-1.pdf. Acesso em: 15 ago. 2023.

SILVA, A. M. A Licenciatura em Química no Instituto Federal do Rio de Janeiro – Campus Nilópolis: concepções, constituição e estrutura. 2015. 167p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

SOARES, L. J. G. (org.). Formação de Educadores de Jovens e Adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

SOARES, L. J. G.; PEDROSO, A. P. F. Formação de educadores na Educação de Jovens e Adultos (EJA): alinhavando contextos e tecendo possibilidades. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, n. 4, p. 251-268, out./dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698161277. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edur/a/kjw6ycd5qY688cL3Hh6JmKf/?lang=pt. Acesso em: 16 jan. 2022.

TIROLI, L. G.; JESUS, A. R. Tensões e embates na formação docente: Perspectivas históricas e análise crítica da BNC-Formação e BNC-Formação continuada. DOI: https://doi.org/10.5212/OlharProfr.v.25.20732.066. Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 25, n. 1-24, e-20732.066, 2022. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20732. Acesso em: 14 ago. 2023.

UFRJ. Projeto Político-Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Campus Cidade Universitária. Rio de Janeiro. 2013. Disponível em: https://www.iq.ufrj.br/arquivos/2020/10/PPC-LQ-2013.pdf. Acesso em: 11 mar. 2023.

UFRJ. Sistema Integrado de Gestão Acadêmica do Curso de Licenciatura em Química. Campus Macaé. Macaé. 2017. Disponível em: https://www.siga.ufrj.br/sira/temas/zire/frameConsultas.jsp?mainPage=/repositorio-curriculo/F3A98B80-92A4-F79C-1E33-80C5DF5A1602.html. Acesso em: 11 mar. 2023.

UFRJ. Sistema Integrado de Gestão Acadêmica do Curso de Licenciatura em Química - EAD. CEDERJ. 2009. Disponível em: https://www.siga.ufrj.br/sira/temas/zire/frameConsultas.jsp?mainPage=/repositorio-curriculo/44E06B31-92A4-F79C-1AFD-F4EE79B6B4BC.html. Acesso em: 11 mar. 2023.

Publicado

29-08-2023

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

OLIVEIRA JUNIOR, Jardel Silva; AUGUSTINHO, Elizabeth; SILVA, Andrea Moraes. Formação de Professores e Educação de Jovens e Adultos: uma análise de cursos de Licenciatura em Química de instituições federais do Rio de Janeiro. Revista Vértices, [S. l.], v. 25, n. 2, p. e25219113, 2023. DOI: 10.19180/1809-2667.v25n22023.19113. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/19113.. Acesso em: 21 jul. 2024.