Alfabetização e letramento: avaliação de aplicativos móveis para os anos iniciais do Ensino Fundamental

Autores

  • Valéria Nascimento Moreira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/R
  • Silvia Cristina Freitas Batista Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
  • Ingrid Ribeiro da Gama Rangel Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ

DOI:

https://doi.org/10.19180/1809-2667.v22n22020p298-320

Palavras-chave:

Aplicativos móveis, Alfabetização e letramento, Avaliação de qualidade

Resumo

Aplicativos móveis (apps) podem ser bons recursos didáticos, favorecendo ações pedagógicas diversas. No entanto, é importante que a seleção de um app para uso educacional seja criteriosa, avaliando aspectos que possam influenciar os propósitos pretendidos. Nesse contexto, este artigo tem por objetivo apresentar a análise da avaliação da qualidade de seis apps que têm potencial para apoiar os processos de alfabetização e letramento. A referida avaliação foi realizada por quatro professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental, durante um minicurso organizado para esse fim. A pesquisa teve caráter qualitativo, e os dados coletados por meio de ficha de avaliação e analisados com base no referencial teórico possibilitaram observar aspectos positivos e algumas limitações nos apps analisados.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Valéria Nascimento Moreira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/R
    Professora da Escola Municipal Dr. Luiz Sobral e Assistente Social do Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro. Mestranda do Programa de Mestrado Profissional em Ensino e suas Tecnologias (MPET) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: vnmoreira.vm@gmail.com.
  • Silvia Cristina Freitas Batista, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
    Doutora em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora Titular atuando no Mestrado Profissional em Ensino e suas Tecnologias (MPET) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro – Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: silviacbatista@gmail.com.
  • Ingrid Ribeiro da Gama Rangel, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ
    Doutora em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Professora no Mestrado Profissional em Ensino e suas Tecnologias (MPET) do– Brasil. E-mail: ingridribeirog@gmail.com.  

Referências

ANDRADE, M. V. M.; ARAÚJO JR., C. F.; SILVEIRA, I. F. Estabelecimento de critérios de qualidade para aplicativos educacionais no contexto dos dispositivos móveis (M-Learning). Revista EAD em Foco, v. 7, n. 2, p. 178-193, 2017. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/466/262. Acesso em: 17 set. 2019.

ARAÚJO, M. M.; OLIVEIRA, M. C. As concepções e os métodos de alfabetização. Revista Margens Interdisciplinar, v. 4, n. 5, p. 129-154, jun. 2008. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistamargens/article/view/2790/2922. Acesso em: 26 maio 2019.

ARESTA, M.; PEDRO, L.; SANTOS, C. Mobile Learning and Higher Education: a Theoretical Overview. Journal of Mobile Multimedia, v. 11, n. 1 e 2, p. 147-156, 2015. Disponível em: https://www.riverpublishers.com/journal/journal_articles/RP_Journal_1550-4646_11112.pdf. Acesso em: 08 jun. 2019.

BACICH, L.; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BARBOSA, M. E. Q. et al. Alfabetize: um aplicativo móvel de apoio à alfabetização. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 6., 2017, Recife. Anais […]. Recife: CBIE, p. 308-314, 2017. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wcbie/article/view/7406/5202. Acesso em: 21 jul. 2019.

BARCELOS, G. T.; BATISTA, S. C. F. Tecnologias digitais na formação de professores: integração entre ensino, pesquisa e extensão. In: XAVIER, D. R.; ANDRADE, I. B.; OLIVEIRA, V. P. S. (org.). Experiências exitosas da Reditec 2018: trabalhos premiados. Campos dos Goytacazes: Essentia Editora, 2019. p. 349-378. Disponível em: http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/livros/article/view/14474/11781. Acesso em: 20 abr. 2020.

BITTENCOURT, E. O.; LUIS, R. S. As contribuições de Ferreiro e Teberosky na alfabetização do Brasil. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 13., 2017, Curitiba. Anais […]. Curitiba, 2017. p. 22559-22567. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/25075_12327.pdf. Acesso em: 1 jun. 2019.

BOTTENTUIT JÚNIOR, J. B.; MENEZ, M. R. C. S.; WUNSCH, L. P. Aplicativos móveis para a alfabetização e letramento no contexto do ensino fundamental. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 11, n. 1, p. 37-56, 2018. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/9812. Acesso em: 28 jul. 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base. Acesso em: 23 fev. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a LDB e estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11274.htm. Acesso em: 23 fev. 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 7, de 14 de dezembro de 2010. Brasília: MEC, Câmara de Educação Básica, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=7246-rceb007-10&category_slug=dezembro-2010-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 4 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Portaria nº 867, de 4 de julho de 2012. Brasília: MEC. Disponível em: https://www.abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Port-867-2012-07-04.pdf. Acesso em: 26 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetização. Caderno de Apresentação. Brasília, 2015. Disponível em: http://pacto.mec.gov.br/materiais-listagem/item/download/21_9945a2941359afb9a5bc726869f697c5. Acesso em: 26 out. 2019.

BRITO, A. E. Prática pedagógica alfabetizadora: a aquisição da língua escrita como processo sociocultural. Revista Iberoamericana de Educación, Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI), v. 44, n. 4, p. 1-9, nov. 2007. Disponível em: https://rieoei.org/RIE/article/view/2219. Acesso em: 12 maio 2019.

BRITO, R.; DIAS, P. Tecnologias digitais, aprendizagem e escola: práticas e percepções de crianças com menos de oito anos e seus pais. REPPE-Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino, v. 1, n. 1, p. 3-25, 2017. Disponível em: http://seer.uenp.edu.br/index.php/reppe/article/view/1046. Acesso em: 24 jan. 2020.

CHRISTENSEN, R.; KNEZEK, G. Reprint of Readiness for integrating mobile learning in the classroom: Challenges, preferences and possibilities. Computers in Human Behavior, v. 78, p. 379-388, 2018.

COSCARELLI, C. V.; RIBEIRO, A. E. (org.). Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 3. ed. Belo Horizonte: Ceale: Autêntica, 2017.

DANTAS, O. M. A. N. A.; MEDEIROS, J. L. O uso interdisciplinar da literatura infantil no processo de ensino e aprendizagem nos anos iniciais. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 12, 2015, Curitiba. Anais […]. Curitiba, 2015, p. 13134-13149. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/16092_8081.pdf. Acesso em: 15 abr. 2020.

FERRONATO, R. F. Alfabetização e letramento. Londrina: Unopar, 2014.

FRADE, I. C. A. S. Métodos e didáticas de alfabetização: história, características e modos de fazer de professores. Caderno do professor. Belo Horizonte: Ceale, FaE, UFMG, 2005.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 9. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

KINAST, P. 5 razões pelas quais o Android é mais popular que o iPhone. In: Oficina da Net. 4 abr. 2019. Disponível em: https://www.oficinadanet.com.br/sistemas_operacionais/25312-5-razoes-pelas-quais-o-android-e-mais-popular-que-o-iphone. Acesso em: 17 set. 2019.

KLEIMAN, A. B. Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever? Campinas: Cefiel, IEL,Unicamp, 2005.

KOBAYASHI, A. M. R.; FREIRE, F. Fala, leitura e escrita em aplicativos móveis: desafios de uma abordagem discursiva. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO, 36.; DESAFIE, WORKSHOP DE DESAFIOS DA COMPUTAÇÃO APLICADA À EDUCAÇÃO, 5., 2016, Porto Alegre. Anais […]. Porto Alegre: PUCRS, 2016. p. 674-683. Disponível em: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/anais/csbc/assets/2016/desafie!/13.pdf. Acesso em: 21 jul. 2019.

MAZIERO, L. L.; RIBEIRO, D. F.; REIS, H. M. Desenvolvimento Infantil e Tecnologia. Revista Interface Tecnológica, v. 13, n. 1, p. 79-91, 2016. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/127. Acesso em: 24 jan. 2020.

MCQUIGGAN, S. et al. Mobile learning: A handbook for developers, educators, and learners. New York: John Wiley & Sons, 2015.

MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S. F.; GOMES, R. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

MORAN, J. Contribuição das tecnologias para a transformação da educação - uma entrevista de José Manuel Moran Costas para a RCC. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, v. 5, n. 3, p. 8-10, 2018. Disponível em: http://www.periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/528/342 Acesso em: 20 abr. 2020.

PAIVA, N. M. N.; COSTA, J. S. A influência da tecnologia na infância: desenvolvimento ou ameaça? Psicologia.pt, p. 1-13, 2015. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0839.pdf. Acesso em: 24 jan. 2020.

PATELA, N. O perfil geracional dos alunos de hoje–repto à emergência de novas teorias educativas. E-Revista de Estudos Interculturais do CEI–ISCAP, n. 4, p. 1-20, 2016. Disponível em: https://www.iscap.pt/cei/E-REI%20Site/Pages/4.htm. Acesso em: 01 jun. 2019.

PEREIRA, V. S.; LIMA, R. V. G.; MOREIRA, J. R. Contribuições do uso das tecnologias da informação e comunicação no processo de alfabetização das crianças do primeiro ano do Ensino Fundamental. Revista Projeção e Docência, v. 10, n. 2, p. 103-118, 2019. Disponível em: http://revista.faculdadeprojecao.edu.br/index.php/Projecao3/article/view/1551. Acesso em: 24 jan. 2020.

PINHEIRO, C. Crianças conectadas. Revista Saúde é vital, 411 ed., p. 60-63, dez., 2016. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/sites/default/files/2016-12/impressao_boxnet_2016-12-16_-_14h14m27s.pdf. Acesso em: 24 jan. 2020.

POSTMAN, N. O desaparecimento da infância. Rio de Janeiro: Graphia, 1999.

QUIM, O.; TOMANIN, C. R.; SOUSA, C. V. Tecnologias digitais e a formação continuada de professores: avaliando o processo. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO, 8., out., 2017, Aracaju. Anais […]. Aracaju: UNIT, 2017. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/index.php/simeduc/article/view/8568. Acesso em: 22 jun. 2019.

REZENDE, M. V. O conceito de letramento digital e suas implicações pedagógicas. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, v. 9, n. 1, p. 94-107, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/10266. Acesso em: 12 maio 2019.

SCHMIDT, L. L.; FURGHESTTI, M. L.S. A Lei nº 11.274/2006 e sua implicação na prática cotidiana das classes de alfabetização. Perspectiva, v. 34, n. 1, p. 223-239, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2016v34n1p223/31948. Acesso em: 4 jul. 2019.

SEBRA, A. G.; DIAS, N. M. Métodos de alfabetização: delimitação de procedimentos e considerações para uma prática eficaz. Revista Psicopedagogia, v. 28, n. 87, 2011, p. 306-320. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psicoped/v28n87/11.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

SILVA, M. G. Metodologia para avaliação de aplicativos educacionais de matemática para o ensino médio. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Análise e Gestão de Sistemas de Informática) – Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Fluminense, Campos dos Goytacazes, RJ, 2015.

SOAD, G. W. Avaliação de qualidade em aplicativos educacionais móveis. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências de Computação e Matemática Computacional) – Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2017.

SOARES, M. Alfabetização: o método em questão. In: Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, p. 15-53, 2016.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação. Minas Gerais, n. 25, p. 5-17, jan./fev./mar./abr. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782004000100002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 24 fev. 2019.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n81/13935.pdf. Acesso em: 7 dez. 2019.

SOARES, M. B.; BATISTA, A. A. G. Alfabetização e letramento: caderno do professor. Belo Horizonte: Ceale, FaE, UFMG, 2005.

STOCKMANNS, J. I.; FONSECA, N. R. Alfabetização e Aprendizagem: uma reflexão sobre a Base Nacional Comum Curricular. Notandum, n. 50, p. 85-102, maio/ago. 2019. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/notandum/article/view/47330. Acesso em: 13 out. 2019.

SUZUKI, J. T. F. et al. Ludicidade e educação. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.

UNESCO. Diretrizes de políticas para a aprendizagem móvel. Brasília: UNESCO, 2014. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000227770. Acesso em: 17 set. 2019.

VALENTE, J. A.; ALMEIDA, M. E. B.; GERALDINI, A. F. S. Metodologias ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Revista Diálogo Educacional, v. 17, n. 52, p. 455-478, abr./jun. 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1891/189154955008.pdf. Acesso em: 17 set. 2019.

Publicado

30-07-2020

Edição

Seção

Dossiê Temático: "Tecnologias Digitais na Educação: estratégias inovadoras"

Como Citar

MOREIRA, Valéria Nascimento; BATISTA, Silvia Cristina Freitas; RANGEL, Ingrid Ribeiro da Gama. Alfabetização e letramento: avaliação de aplicativos móveis para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Revista Vértices, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 298–320, 2020. DOI: 10.19180/1809-2667.v22n22020p298-320. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/15402.. Acesso em: 20 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)